Inquéritos sobre assassinatos e estupros continuam sem solução nas delegacias e na Justiça da PB

Publicado em domingo, Fevereiro 19, 2012 ·

inqueritoVários casos de assassinatos e estupros considerados como rumorosos e misteriosos e que ganharam repercussão local e nacional continuam parados nas delegacias e na Justiça a espera de uma solução. Em  muitos deles, a polícia continua investigando, mas não chega a uma conclusão e outros foram concluídos, mas os acusados continuam foragidos.

Um dos casos é o do publicitário Abner Machado Pereira Neto, 39 anos, quem também usava o nome de Fábio Pereira de Sousa. Ele é acusado de ter estuprado cerca de 30 mulheres na Paraíba. Abner já foi ouvido três vezes na Justiça e apenas confirmou ter violentado apenas uma menina de nove anos. Abner Machado Pereira Neto é considerado pela polícia como o maior estuprador do Brasil.

Outro caso rumoroso foi o do lutador de Jiu-Jítsu e professor de educação física, Rufino Gomes, o ‘Morceguinho’ assassinado no dia 25 de janeiro do ano passado no Bairro de Manaíra.  A polícia investigou o caso e identificou todos os acusados pelo crime, mas até agora nenhum deles foi preso.

Estão sendo procurados pelo assassinato de “Morceguinho” os irmãos Jocélio Ramos de Carvalho Filho,  que é veterinário e o estudante de medicina Eduardo Cavalcante Ramos de Carvalho, ambos residentes no Estado de Alagoas e além do comerciante Danilo Cavalcanti Vieira, conhecido por “Danilo Godoy” que mora na cidade de Bom Conselho, no Pernambuco.

Outro caso rumoroso é o de duas irmãs que morreram de forma misteriosa em João Pessoa. Na tarde do dia 10 de novembro do ano passado a mãe de Kauêne Geovania da Silva, de 2 anos e 6 meses e Suzane Ferreira Vieira da Silva, de 1 ano e 3 meses, teria deixado as duas filhas com o pai em casa  no Bairro do  Valentina e, quando voltou, percebeu que a criança de dois anos estava gemendo e com hemorragia. Inicialmente ela levou a menina para um hospital no bairro Valentina Figueiredo.

O pai das duas meninas chegou a ser preso acusado de ter estuprado as duas meninas, mas depois foi liberado por falta de provas. A causa da morte da menina também não descoberta.  A polícia está ouvindo os médicos dos hospitais por onde as duas meninas passaram em busca de uma pista para elucidar os crimes.

O estupro seguido de assassinato da estudante Rebecca Cristina também continua sem solução. A garota foi assassinada com um tiro na nuca no dia 11 de julho do ano passado após ter do violentada sexualmente. A menina foi encontrada na Praia de Jacarapé. Várias pessoas acusadas pelo crime já foram presas e chegaram a ser ouvidas, mas depois foram liberadas por falta de provas e até agora o acusado não foi preso.

Paulo Cosme

Paraíba.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627