Infarto agudo do miocárdio mata 62 pessoas na PB no 1º semestre de 2015

Publicado em domingo, outubro 4, 2015 ·

infartoAs doenças do aparelho circulatório foram a causa da morte de 664 pessoas na Paraíba no período de janeiro a junho de 2015, de acordo com dados do DataSus do Ministério da Saúde. Os casos de insuficiência cardíaca foram responsáveis por 179 mortes, seguidos por 62 casos de morte por infarto agudo do miocárdio. Neste mesmo período foram registradas 6.735 internações em decorrência de doenças circulatórias.

A quantidade de mortes por acidente vascular cerebral, 135 casos, e o de internações por hipertensão arterial primária (sem causas definindas) 433 casos, também são números que chamam a atenção.

Mortes por infarto agudo do miocárdio de janeiro a junho de 2015, segundo DataSus
Homens Mulheres Cidade
17 mortes 8 mortes Campina Grande
13 mortes 14 mortes João Pessoa
1 morte        – Guarabira
       – 3 mortes Santa Rita
       – 2 mortes Patos
       – 2 mortes Cajazeiras
       – 1 morte Picuí
       – 1 morte Sumé
31 mortes 31 mortes TOTAL

Dos 62 casos de morte por infarto agudo do miocárdio 31 mortes foram de homens e outras 31 de mulheres. Campina Grande liderou o número de mortes de homens por infarto com 17 casos, seguido por João Pessoa, que apresentou 13 casos.

As outras 31 mortes registradas foram de mulheres, sendo 14 casos em João Pessoa, oito em Campina Grande e três em Santa Rita.

De acordo com o professor e cirurgião cardiovascular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB),  André Telis de Vilela, os números mostram que o estado segue uma tendência nacional, mas conforme o professor André, uma pessoa que venha a sofrer um infarto agudo do miocárdio na Paraíba tem 68% a mais de chances de morrer em decorrência do infarto.

“Se você comparar a assistência prestada em um estado como São Paulo, por exemplo, você vai ver que as chances de uma pessoa morrer em decorrência do infarto aqui na Paraíba são muito maiores. Aqui, uma pessoa tem 68% a mais de chances de morrer em caso de infarto, o que indica que a assistência que está sendo oferecida não é adequada”, explicou.

A equipe de reportagem tentou ouvir a Secretaria de Saúde do Estado para repercutir o assunto , mas até o fechamento desta reportagem as ligações não foram atendidas.

Estilo de vida e prevenção
As doenças cardíacas e do sistema circulatório estão relacionadas ao histórico familiar e hábitos de vida das pessoas, entre outros fatores. A idade, a existência de outras patologias associadas e o comportamento também estão entre os fatores de risco.

A má alimentação, rica em gordura saturada, o tabagismo e o sedentarismo são aspectos lembrados pelo cirurgião vascular André Telis como complicadores. A prática regular de exercícios, associada a uma alimentação correta, são maneiras eficazes de cuidar do coração, atuando nos fatores ambientais e reduzindo o risco de morte por doenças cardiovasculares.

Atividade física por onde começar (Foto: Arte/G1)Prática regular de atividade física é uma forma eficaz de reduzir o risco de morte por doenças cardiovasculares  (Foto: Arte/G1)

 

 

G1

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627