HU promove treinamento sobre o ebola e OMS declara Emergência Internacional

Publicado em sexta-feira, agosto 29, 2014 ·

medicos-ebola-africaA Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde e da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), promove uma reunião nesta sexta-feira (29) para atualizar os profissionais em relação às medidas de precaução a serem adotadas frente a um caso de doença contagiosa, em especial pelo vírus ebola.

Segundo a gerente-executiva da Vigilância da Saúde, Renata Nóbrega, o risco de que o vírus chegue ao Brasil é mínimo. “A Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde já relataram que o risco de que o vírus deixe os três países onde está o foco principal é remoto. Estamos trabalhando seguindo um protocolo do Ministério e as medidas de precaução da Anvisa”, explicou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A reunião acontece a partir das 14h, no auditório do Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, com profissionais de saúde do HU, Clementino Fraga, Serviço Móvel de Urgência e Emergência (Samu), técnicos da gestão hospitalar e vigilância em saúde da Secretaria de Saúde de João Pessoa, Núcleo de Apoio aos Hospitais, Coordenação de Urgência e Emergência e técnicos da vigilância em saúde.

Na Paraíba, o HU será o centro de referência no caso de algum caso de ebola ser identificado no Estado. “Estamos preparando nossos profissionais para trabalharem na prevenção do vírus. O ebola não é transmitido pelo ar, o que facilita o monitoramento da doença. Por isso, também, estamos preparando os profissionais da saúde para lidar com esta epidemia”, declarou.

Epidemia africana – O ebola está presente em países da região ocidental da África, como Libéria, Serra Leoa e Guiné. Embora seja considerada muito remota a possibilidade de se alastrar para outros continentes, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou situação de Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII).

 

A partir desse alerta, o Ministério da Saúde passou a orientar os estados para criarem ações de vigilância e prepararem serviços de saúde de referência.

Ebola – O vírus foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo), e desde então tem produzido vários surtos no continente africano. O vírus foi transmitido para seres humanos que tiveram contato com sangue, órgãos ou fluidos corporais de animais infectados, como chimpanzés, gorilas, morcegos-gigantes, antílopes e porcos-espinhos.

O período de incubação é de um a 21 dias e será considerado caso suspeito de infecção pelo vírus ebola indivíduos procedentes, nos últimos 21 dias, de países com transmissão atual de ebola (Libéria, Guiné e Serra Leoa), que apresentem febre de início súbito, podendo ser acompanhada de sinais de hemorragia, como diarreia sanguinolenta, gengivorragia, enterorregia, hemorragias internas, sinais purpúricos e hematúria.

A doença pelo vírus ebola é de notificação compulsória imediata. A notificação deve ser realizada pelo profissional de saúde ou pelo serviço que prestar o primeiro atendimento ao paciente, pelo meio mais rápido disponível, de acordo com a Portaria nº 1.271, de 6 de junho de 2014.

Na Paraíba, todo caso suspeito deve ser notificado, imediatamente, à Secretaria de Estado da Saúde, nos seguintes telefones: 0800-281-0023 e 8828-2522 (24 horas).

Assessoria

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627