‘Grito dos Excluídos’ fará caminhada na Lagoa nesta terça para denunciar ‘violências e assassinatos’

Publicado em sexta-feira, setembro 2, 2011 ·

grito-dos-excluidos1A 17º Edição do Grito dos Excluídos e Excluídas vão estar no dia 06 de setembro, com concentração no Cassino da Lagoa as 13h30, com o lema Vida em primeiro lugar: “Pela Vida Grita a Terra… Por Direitos, Todos Nós!’

Segundo os organizadores, o Grito dos Excluídos e Excluídas reunirá esse ano mais de 1000 pessoas. Percorrerá várias ruas do centro de João Pessoa, terminando na Praça João Pessoa, onde será entregue um documento reivindicativo ao Governador do Estado.

O manifesto do Grito está dividido em seis eixos, temas que foram discutidos e elaborados pelos movimentos sociais organizadores do ato. São eles: Meio Ambiente, Trabalho, Políticas Públicas, Combate a criminalização da Juventude e dos Movimentos Sociais, Direitos das Mulheres e do Movimento LGBT, e o eixo Memória Mística e Utopia.

Os manifestantes denunciam as violências e assassinatos de mulheres e homossexuais; a criminalização que hoje sofrem os movimentos sociais e a juventude das periferias das grandes cidades; denunciam também os crimes ambientais e as mudanças no Código Florestal que só intensificará a degradação da natureza impactando diversas populações tradicionais; O Grito denuncia ainda o desemprego, em especial de mulheres e jovens, a
precarização das relações de trabalho e os baixos salários.

Confira as principais reivindicações do 17º Edição do Grito dos Excluídos e Excluídas são:

Por Políticas Públicas de Educação, Saúde, Transporte e Cultura que atinja todos os setores da sociedade, em especial as populações excluídas, e contra todas as formas de privatização desses serviços.

Pela não instalação da fábrica de cimento nas cidades de Conde e Alhandra, que causará graves impactos sociais e desalojará assentados da reforma agrária e quilombolas.

Pela Reforma Agrária e políticas destinadas a agricultura familiar e a agricultura ecológica. Pelo combate a violência e ao tráfico de animais silvestres e domésticos.

Por um maior número de delegacias da mulher no estado e pelo Juizado Especial da Mulher.

Pelo reassentamento das famílias atingidas pela construção da Barragem de Acauã, hoje em situação de extrema pobreza.

Pela instalação das Frentes Emergências de Trabalho, política já existente em outros estados.

Pelo Passe Livre no transporte público para estudantes, desempregados, portadores de HIV/AIDS, e pessoas com transtorno metal.
Pela Redução das Tarifas Públicas, em especial da Água e da Energia Elétrica.
Entre outras.

A caminhada sairá do anel interno da Lagoa seguindo pela Camilo de Holanda, Ponto Cem Réis, Praça do Bispo e General Osório, chegando a Praça João Pessoa onde será encerrado. Durante esse trajeto serão feitas aradas para que os movimentos participantes possam fazer suas reivindicações e denuncias.

Segundo Rafaela Carneiro, integrante da Assembléia Popular e uma das organizadoras do Ato, “o Grito é uma tradição entre os movimentos sociais e organizações populares, é o momento que os excluídos e excluídas tomam as ruas com suas palavras, suas músicas e seus berros de indignação e esperança”.
Contato – 8825-5680 – Gleyson – Assembléia Popular

Asssessoria

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627