Governo Federal libera recursos para fortalecimento de Bancos de Sementes na Borborema

Publicado em quinta-feira, dezembro 1, 2011 ·

O Governo Federal, através da Conab, celebrou um projeto e liberou recursos financeiros de R$ 32 mil reais para compra de sementes da paixão produzidas pelas famílias agricultoras que trabalham agroecologia no pólo Sindical da Borborema.

A compra é feita pela Companhia Nacional de Abastecimento(Conab) e a entrega das sementes é feita para o fortalecimento dos Bancos Comunitários de Sementes da Paixão de todo o Pólo da Borborema que envolve dezenas de unidades em diversos municípios da região assessorada pela ONG AS-PTA que trabalha tecnologias apropriadas para o semiárido.

Na última quinta-feira, dia 24, agricultores e entidades de agricultores do Pólo da Borborema se reuniram com a CONAB na sede da AS-PTA, em Esperança, para fazer um balanço do trabalho de compra das sementes que já estão sendo armazenadas nos diversos bancos de sementes nas comunidades rurais dos diversos municípios e no Banco Mão de Sementes que fica sediado no município de Lagoa seca.

Emanoel Dias é assessor técnico da AS-PTA, participou do encontro e, em entrevista ao Domingo Rural, disse que foi uma reunião de avaliação o projeto PAA Sementes que está finalizando todas as suas metas onde a Conab pode conversar diretamente com agricultores que selecionaram e venderam sementes para o programa, conversar com representações de associações sobre como está o processo de armazenamento das sementes nos bancos, visita á bancos de sementes comunitários e ao banco mãe de sementes localizado na zona rural de Lagoa Seca. “Esse projeto ele foi elaborado no ano passado e estamos finalizando como falei, compramos 15 toneladas de sementes crioulas de duas variedades de milho, três variedades de fava, três variedades de feijão no valor de mais de R$ 30 mil reais e todo esse material está sendo estocado, tanto nos bancos comunitários como no banco mãe de sementes e a idéia é que atenda a demanda da próxima safra”, explica o agrônomo, afirmando que cerca de 3 mil famílias serão atendidas com sementes adaptadas a região através de rede de bancos de sementes do Pólo.

Paulo França é técnico da CONAB, Companhia Nacional de Abastecimento, conversou com Stúdio Rural através do Programa Domingo Rural e disse ter ficado satisfeito com o trabalho desenvolvimento pelas entidades do Pólo da Borborema que trabalham de forma seqüenciada todas as ações estruturadoras da propriedade familiar numa lógica de autonomia das famílias e garante que a tendência é de ampliação do trabalho do Governo Federal, via Conab, em toda a região semiárida. “Sim, a Conab tem uma atuação, como ela é empresa de nível federal ela tem uma atuação nacional e, no Nordeste nós trabalhamos com os pequenos agricultores que tem um hectare de terra e essas pessoas é que produzem e sustenta toda limitação da cadeia alimentícia e a tendência é melhorar, vem melhorando e a tendência é aumentar a quantidade de agricultores no âmbito geral”.

Diretor sindical em Casserengue, Raniere Martins da Silva disse que a parceria significa mais um passo dado a frente dos agricultores porque são parcerias que fortalecem as bases da agricultura agroecológica de toda a região e, em Casserengue o número e a qualidade das famílias envolvidas na preservação das sementes da paixão vêm aumentando sensivelmente. “No meu município foram 12 famílias beneficiadas com esse projeto inicialmente e a gente está com uma idéia de beneficiar muito mais agricultores e acho que vai chegam em torno de 20 famílias que vão ser beneficiadas diretamente com esse projeto”, comemora a liderança dizendo que com a prática de bancos de sementes evita-se que a qualidade genética saia do município e da região. “Essa emente é comprada num p0reço bom também e também evita de os atravessadores comprarem essas sementes e levar pra fora, então é uma forma de a semente adaptada a região permanecer nos bancos do nosso próprio município”

Severina da Silva Pereira, Silvinha, é diretora sindical em Queimadas, disse que a prática bem também fortalecendo o trabalho naquele município e que a tendência é também ter crescimento no trabalho organizativo. “Está começando agora porque Queimadas tem grande número de agricultores, mas estamos caminhando para futuramente todo o sítio ter seu banco de sementes para que não venha entrar nas políticas dos governos para que não haja politicagem com sementes e sim o fortalecimento das sementes do agricultor”, explica e garante que a compra via Conab representa um bom momento para o processo de organização do segmento. “É um dos bons momentos porque com a compra do PAA está se comprando sementes dos agricultores, tanto vai estar fortalecendo os bancos de sementes como vai estar fortalecendo os agricultores para que não venham os atravessadores, compre suas sementes e o município fique sem semente”.

Responsável por um trabalho com bancos de sementes em Montadas e no Pólo da Borborema, Joaquim Pedro de Santana disse que a parceria da agricultura familiar com o Governo Federal fortalecerá o as ações que já vêm sendo desenvolvidas e ao mesmo tempo fará com que as famílias tenham reservas de sementes para evitar dependências de programas de governos que causam dependências e ferem a dignidade da coletividade. “Representa muito porque essa parceria que nós fazemos com a Conab ela é exatamente para que a gente tenha uma semente nossa pra evitar que os agricultores e agricultoras na época de seus plantios não fiquem procurando sementes por aí, plantando sementes que não conhecem, plantando sementes que as vezes chega a hora do plantio e não tem semente e essa parceria nossa com a Conab faz com que a gente garanta a semente de boa qualidade, na hora certa pra repassar para os agricultores e agricultoras para que eles tenham um plantio feito na hora da necessidade da planta”.

José Luna de Oliveira, Zé Pequeno, é agricultor na comunidade São Tomé II de Alagoa Nova, trabalha com banco comunitário de sementes e informou que a parceria vai ampliar o trabalho que já envolve 61 famílias com o processo. “No meu banco de sementes no São Tomé II tem 61 famílias que estão envolvidas e agora com essa compra de sementes que a gente armazenou com mais garra em Alagoa Nova a gente vai aumentar mais o número de sócios e assim por diante. Quer dizer: tem bancos de sementes em Alagoa Nova com 10 sócios, com 15 sócios, com 30 sócios e assim por diante, isso no caso de Alagoa Nova e hoje o agricultor está fortalecido fazer mais no seu plantio no próximo ano”.

Massaranduba é outro município que vem fazendo um trabalho com bancos de sementes e, segundo, Antônio Luiz da Silva, diretor sindical, o trabalho está sendo iniciado, envolve 12 famílias e a partir dessa ano a tendência é de busca de envolvimento por parte de outras famílias que passarão a ser referência em comunidade rurais daquele município. “È uma parceria boa porque hoje nós estamos formando um banco de sementes lá em Massaranduba e hoje a gente está vendo que a Conab está dando um apoio a gente do Pólo Sindical da Borborema”.









Fonte : Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Focando a Notícia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627