Fla, com um a mais, fica no empate com o Goiás de um salvador Renan

Publicado em sábado, novembro 9, 2013 ·

flamengoEm duelo de times desgastados, Flamengo e Goiás fizeram um primeiro tempo interessante, cansaram no segundo e ficaram no empate por 1 a 1 na noite deste sábado, no Maracanã. O time goiano, eliminado pelo carioca na Copa do Brasil na quarta-feira, mostrou ousadia e procurou a vitória incessantemente mesmo com um jogador a menos durante 60 minutos – Hugo foi expulso. O goleiro Renan, pouco exigido durante a maior parte do jogo, saiu de campo com três defesas difíceis, sendo duas já nos acréscimos.

O empate impede a entrada do Goiás no G-4 do Campeonato Brasileiro após a 33ª rodada. Está empatado com o quarto colocado Botafogo, que soma 53 pontos e enfrenta o Inter neste domingo, mas com uma vitória a menos. O Flamengo continua somando seus pontos para eliminar qualquer risco de rebaixamento: agora tem 45 e está em nono lugar.

Curiosamente, houve repetição de placares nas duas competições em que os times se enfrentaram. Pela Copa do Brasil, foram duas vitórias rubro-negras por 2 a 1. No Brasileiro, dois empates por 1 a 1.

O momento de maior tensão do jogo aconteceu aos 31 minutos, quando Hugo foi expulso em decisão discutível do árbitro Jaílson Macedo Freitas. O esmeraldino bateu boca com André Santos, fez sinais como quem diz que “o pegaria lá fora” e reclamou na saída de campo que “beneficiam sempre o time grande”. No intervalo, um jogador de cada time fez duras críticas a ele.

– É um jogador que tem qualidade, mas não tem mentalidade. Para jogar futebol tem que ter os dois: qualidade e saber pensar um pouquinho, e não desrespeitar o adversário. Desde o jogo lá (em Goiânia) vem fazendo isso. Desrespeitou o Elias, o Chicão, hoje veio bater boca comigo. Fala de assunto particular, de contrato, disse que já tem pré-contrato assinado, de dinheiro, de família… isso eu deixo para discutir fora de campo. Mas ele teve mais uma lição e foi expulso – criticou André Santos.

Hugo não foi poupado mesmo por companheiro de equipe. O zagueiro Rodrigo, que teve boa atuação e foi autor do gol de empate, falou em irresponsabilidade.

– A gente tem um objetivo, que é chegar ao G-4, e estava com o propósito de marcar bem e achar um gol. Só que mais uma vez a irresponsabilidade de um jogador nosso, que na Copa do Brasil já tinha sido expulso por causa de bate-boca no campo, agora foi de novo – protestou o defensor, apenas enganando-se quanto à ausência de Hugo, que não atuou na partida de volta da semifinal por acúmulo de cartões amarelos.

Amaral e Hugo, os nomes da etapa inicial

Flamengo e Goiás foram praticamente iguais no primeiro tempo. Chegaram duas vezes com perigo cada. Os visitantes acertaram a trave em chutes de Léo Bonatini, que aplicou belo drible em André Santos na jogada, e David, numa cobrança de falta venenosa. Pelo lado do Fla, Hernane obrigou Renan a bela defesa. Amaral, como elemento surpresa, quase fez golaço de fora da área.

O equilíbrio era tão gritante que não se restringia a chances reais de gol ou posse de bola. Os times se igualavam até no nome de seus primeiros volantes: Amaral. Aliás, nome não. Ambos foram apelidados assim por seus amigos o considerarem parecidos com o ex-volante da Seleção dentro de campo. O Amaral rubro-negro chama-se Maurício Azevedo Alves e o esmeraldino, William José de Souza. O desequilíbrio na etapa inicial foi mental. O Amaral dos visitantes merecia ser expulso após falta dura em Luiz Antonio, mas levou apenas o amarelo. Já o Amaral flamenguista foi malandro e irritou tanto Hugo, que acabou provocando a expulsão do camisa 10. Diga-se de passagem que o segundo amarelo exibido para o meia do Goiás foi exagerado.

Apesar da constante participação de Amaral flamenguista nos lances capitais do primeiro tempo, ele não voltou do intervalo. Jayme de Almeida, talvez temendo uma compensação por parte do árbitro, sacou o volante, que levou cartão amarelo após falta em Hugo.

Renan salva no fim

Jayme resolveu apostar na velocidade de Rafinha para aproveitar a superioridade numérica e o colocou no lugar de Gabriel, novamente apagado. Amaral deu lugar a Diego Silva. Porém, o resultado imediato não veio pelo lado direito, ocupado por Rafinha, e sim pelo esquerdo. Logo aos cinco minutos, a bola passou rapidamente pelos pés de Adryan e Paulinho até encontrar o direito de Hernane, que não perdoou e fez seu 14º no Brasileiro, o 33º na temporada: 1 a 0.

O Flamengo começou a encontrar facilidade para penetrar na defesa esmeraldina. Enderson Moreira reparou que vinha perdendo o meio-campo e trocou o meia Renan Oliveira pelo volante Thiago Mendes. Quem acreditava num recuo dos visitantes foi surpreendido com um relaxamento rubro-negro. Resultado: o Goiás chegou ao empate em sua jogada mais perigosa nos últimos jogos diante do Fla, a bola parada. William Matheus cobrou falta e Rodrigo cabeceou no ângulo.

Depois do gol esmeraldino, Flamengo e Goiás cansaram e deram uma dormida em campo. No fim, quem mais levou perigo foi o Rubro-Negro, que quase desempatou em belos chutes de Luiz Antonio, Hernane e Nixon. Os últimos dois foram parados por Renan, que ainda pegou cabeçada de Wallace aos 45 minutos.

 

 

Globoesporte.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627