jogos digitais

eSports apresenta perigos para a saúde para quem joga em excesso

Publicado em terça-feira, setembro 3, 2019 ·

Os eSports vieram para ficar e estão a cada dia mais ganhando novos adeptos. Sejam eles jogadores ou admiradores. Isso tem levantado diversas questões pertinentes a respeito dessa nova prática esportiva.

Na verdade, essa discussão não é nova. Desde a década de 1990 especialistas apontam a necessidade de falarmos sobre a exposição demasiada de crianças e de adolescentes à televisão e aos ecrãs.

Com o crescente avanço e popularidade da indústria de jogos digitais, essa preocupação apenas aumentou. Torneios e jogos acontecem um pouco por todo o planeta. Expressões como Bet on CSGO e The International são comuns para os torcedores (sim, existem também torcedores de eSports). Hoje, em um momento em que esses jogos se tornaram modalidade esportiva, é natural que os receios também cresçam.

Afinal, os perigos são mesmo reais. Em meio a torneios milionários e competições internacionais, os jogadores de videogame profissionais são expostos a diversos perigos.

Visão e audição são dois sentidos prejudicados

Um famoso jogador, inclusive, Evgenii ‘Blizzy’ Ri, questionou-se: “Como é possível alguém lesionar-se a jogar videojogos?”. E a resposta dada por seu médico foi taxativa: visão e audição são dois sentidos facilmente prejudicados pela jogatina constante.

Evgenii ‘Blizzy’ Ri é membro de uma das mais fortes equipes de Dota 2 do mundo. Ele participará com seus companheiros na The International, uma das competições que melhor paga nesse mercado.

Seu médico, no entanto, proibiu-o de jogar por aproximadamente seis meses. Essa medida visa desacelerar a perda da visão de Blizzy, além de permitir que ela se recupere 100%.

O problema é que Blizzy e sua equipe podem ficar milionários se ganharem esse torneio. E Blizzy aponta: “Preciso jogar”.

E ele acrescenta: “Antes, não me preocupava com isso. Mas agora tenho a impressão de que (…) não consigo ver muito bem. O meu médico pediu-me para ficar longe do computador durante seis meses, mas não consigo. Preciso jogar”

Apesar de ter sido aconselhado a usar óculos, Blizzy diz que não se adaptou muito bem a isso. E afirma que a falta de visão não atrapalha durante o jogo, já que ele senta muito perto da tela.

Problema no túnel do carpo também é comum

Problema no túnel do carpo é outra grave complicação que atinge os jogadores de eSports. De acordo com os próprios players, em Xangai, onde ocorre The International, muitos reclamam de dores nos braços, nos pulsos e nos cotovelos.

Esse problema causa dormência e formigamento nos dedos, dificuldade de movimento e pode, inclusive, exigir tratamento cirúrgico. Isso ocorre porque os movimentos feitos pelos atletas é repetitivo e nunca varia.

Além disso, o resto do corpo também é atingido. Esses jogadores estão desde a infância treinando para serem profissionais. Jogam mais de 10 horas por dia fora das competições, o que se eleva quando estão em torneios.

As costas são a parte do corpo mais prejudicada. A tensão, afinal, é enorme. Muitos jogam com a vida na mão, pois veem nesses torneios oportunidades únicas de saírem da pobreza ou pelo menos de enriquecerem.

Competições como a The International revelam a necessidade de pensarmos sobre a saúde de quem pratica eSports. Normalmente são adolescentes, jovens e até crianças, que estragam sua saúde física e mental apenas por dinheiro.

 

 

Comentários

Tags : , , , , ,

REDES SOCIAIS














INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627