Mais médico

Desempregado, médico cubano que decidiu ficar na PB recebe ajuda de ex-pacientes

Publicado em sexta-feira, Fevereiro 1, 2019 ·

Com o fim da parceria entre Brasil e Cuba no Programa Mais Médicos, alguns médicos cubanos decidiram continuar no país e até construíram famílias, como é o caso de Ariel Sanches, que chegou ao país para trabalhar na cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba. Hoje desempregado, o médico cubano recebe ajuda dos ex-pacientes e espera o resultado da Revalida para poder trabalhar novamente no país.

O médico Ariel Sanches saiu de Cuba para o Brasil em novembro de 2013 e, durante cinco anos, exerceu a profissão na Paraíba através do programa Saúde da Família – um acordo entre os dois países. Foi na cidade de Sousa, onde chegou para trabalhar, que Ariel conheceu Vânia Silva, uma enfermeira com quem se casou e teve o filho Adriel, hoje com 3 anos.

“Nós médicos, que ficamos aqui no Brasil, estamos desempregados porque não podemos clinicar. A gente deixou de ser médico da noite para o dia”, lamenta Ariel.

Por decisão do Governo Federal, em novembro de 2018, os médicos cubanos foram desligados do PSF no Brasil e deveriam retornar para o país de origem. Porém, a família se tornou para Ariel um laço mais forte que o vínculo de trabalho e então o médico resolveu permanecer no país.

“Depois que ele saiu, que o programa acabou, ficamos os dois desempregados com uma criança de 3 anos e então a gente ficou nessa, sem saber o que ia acontecer porque o último salário dele, que ele tinha, já estava acabando. A nossa esperança é que ele consiga passar nessa revalida”, conta Vânia Silva, esposa de Ariel.

Hoje, desempregados, Ariel e a esposa recebem ajuda dos ex-pacientes e amigos do médico. Na expectativa de respostas positivas, o cubano também sente a dor de tantos outros colegas que perderam o emprego. “A gente hoje vive graças ao povo de Sousa, graças à população que nos acolheu, nos deu ajuda tanto de dinheiro como de comida”, conta o médico.

“A minha única família agora é ele e meu filho, porque meus pais já estão falecidos. Meu sonho é que ele volte a trabalhar como médico, que ele volte a trabalhar no PSF, a população gosta muito dele e tem ajudado muito. Os pacientes esperam que ele retorne”, diz Vânia.

Médico cubano chegou ao Brasil em 2013 e construiu família em Sousa, no Sertão da Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Médico cubano chegou ao Brasil em 2013 e construiu família em Sousa, no Sertão da Paraíba — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Espera pelo resultado da revalida

Sanches, que é médico há vinte anos, espera há mais de dois anos o resultado da Revalida – exame que autoriza o exercício da medicina no Brasil. O médico diz que o sonho é ser aprovado no exame para que ele possa voltar a atender no PSF onde trabalhava em Sousa e poder retribuir toda a ajuda que recebeu da população após perder o emprego.

O cubano diz que o maior sonho, tanto do médico brasileiro que se formou no exterior, quanto o estrangeiro que vem morar no Brasil, é passar na revalida, porque é o único exame possibilita o profissional trabalhar como médico no país.

“Se Deus me permitir, na hora que eu passar nesse exame eu vou voltar ao meu PSF com meus pacientes e vou retribuir tudo aquilo de bom que eles fizeram comigo. Eu vou retribuir com mais trabalho, mais ajuda e com mais humildade. Eles merecem”, afirmou Ariel.

G1

 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627