Dados que assustam: 2011 foi o ano em que mais se matou homossexuais na Paraíba

Publicado em segunda-feira, dezembro 26, 2011 ·

Segundo levantamento realizado pelo Movimento Espírito Lilás (MEL), 2011 foi o ano em que mais se matou homossexuais na Paraíba.

Homofobia

Ao todo, foram registrados 21 assassinatos: 11 gays; 6 travestis ou transexuais; 3 lésbicas e 1 heterossexual, distribuídos em oito municípios paraibanos: João Pessoa, Campina Grande, Queimadas, Sousa, Cabedelo, Bananeiras, Santa Rita e Patos.

No período de janeiro de 1990 a dezembro de 2011, foram registrados 128 assassinatos de homossexuais na Paraíba.

Os 21 crimes ocorridos em 2011 são apresentados no relatório do MEL, em parceria com a Comissão da Diversidade Sexual e Direito Homoafetivo da OAB/PB, o modelo de homicídio relatado define sua motivação no ódio por preconceito, além de repulsivo por sua futilidade é extremamente agressivo, onde quem o pratica não só deseja a morte daquele indivíduo, mas também sua desumanização e despersonalização de suas qualidades morais.

Segundo Renan Palmeira, vice-presidente do MEL, “Nos inquéritos é comum encontrarmos vítimas desfiguradas por disparos efetuados em seus rostos ou lesionadas por espancamentos gravíssimos, no ensejo de torná-los algo menos que um indigente”, disse.

O crescimento dos assassinatos e das agressões contra a população LGBT no Estado da Paraíba demonstra a falta de ações de políticas públicas a este segmento social.

De acordo com Luciano Vieira, presidente do MEL: “Temos conhecimento dos altos índices do aumento da violência contra a população paraibana em geral, porém a falta de políticas sociais, de leis que punam os agressores homofóbicos, a falta de uma política pública para a segurança efetiva e a rearticulação do conservadorismo expresso em alguns meios de comunicação e no cenário político regional motivaram o crescimento dos crimes de ódio contra a comunidade LGBT no nosso Estado”.

Contudo, segundo Renan, “obtivemos ganhos reais em 2011 com o reconhecimento da união homoafetiva pelo STF, a visibilidade da luta pela cidadania LGBT na mídia nacional e regional e a participação da população na luta contra homofobia expressa na realização da 10ª Parada da Cidadania LGBT de João Pessoa que contou com a participação de 30 mil pessoas”, declarou.

CONFIRA A LISTA DOS LGBTS ASSASSINADOS EM 2011

JOÃO PESSOA

01. Alexandro da Silva Oliveira – Líder religioso, homossexual assumido, de 34 anos de idade, executado a queima roupa com cinco tiros quando retornava para casa após ritual religioso. O homicídio aconteceu na Comunidade Boa Esperança, no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa na madrugada de quinta-feira, 6 de janeiro de 2011.

02. Travesti de identidade desconhecida – Travesti assassinada a pedradas no centro de João Pessoa, sábado 15 de janeiro de 2011. Identidade desconhecida.

03. Sérgio Benício de Sousa – Homossexual assumido, de 31 anos de idade, assassinado a tiros na comunidade de Baleado, no bairro de Mandacaru, na madrugada do sábado, 29 de janeiro de 2011.

04. Geruza – nome civil desconhecido – Travesti encontrada morta de forma violenta em 01 de fevereiro de 2011. Conforme relato da Central de Polícia, o inquérito foi remetido a 2ª Delegacia de Polícia Civil da Capital.

05. Beto Coveiro – Coveiro do cemitério Santa Catarina, localizado no bairro dos Estados. Homossexual assumido, ele foi morto a tiros no bairro de Mandacaru, em 30 de março de 2011.

06. Edilene Justino dos Santos – Lésbica, encontrada morta por enforcamento na casa de duas amigas no mês de março de 2011. Familiares afirmaram que ela foi morta e assaltada.

07. Roberto Confessor da Silva – Travesti, 28 anos, foi executado com dois tiros a queima roupa quando chegava em casa, no bairro de Mangabeira. O crime aconteceu por volta das 4h do domingo, 29 de maio. Populares disseram que o acusado pelo crime é um homem que mantinha relação sexual com a vítima.

08. Albanir Cardoso – Lésbica, cabeleireira, 37 anos, assassinada com três tiros na tarde de terça-feira (28 de junho), no bairro São José. Segundo informações, os acusados são dois homens que fugiram a pé. Segundo a polícia, Albanir teria um relacionamento com uma mulher casada.

09. Alexandro Lourenço Gonçalves – Baby – Travesti assassinado a tiros na rua do Bairro São José, no dia 16 de agosto. Segundo a polícia, a vítima foi baleada por duas mulheres. Elas teriam praticado o crime após um briga em uma casa de show da Capital.

10. Paulo Pereira Rocha Filho – Homossexual assumido, 24 anos. O crime aconteceu por volta das 15h30, do dia 21 de outubro, no bairro de Mangabeira. De acordo com informações da 9ª Delegacia Distrital, o acusado pelo crime é um rapaz com quem ele mantinha uma relação sexual.

11. Edson Gomes da Silva – Homossexual, morto por arma de fogo em via pública, na lateral da Oficina SOS Oxigênio, Bairro das Trincheiras, no dia 12.11.2011.

CAMPINA GRANDE

12. Luiz Carlos das Neves – Ex-presidiário de 46 anos de idade, homossexual assumido, assassinado com 26 golpes de faca por volta das 2h de 31 de janeiro, na Avenida Floriano Peixoto. Do veículo, aparentemente nada foi levado.

13. Inete (Daniel Oliveira Felipe) – Travesti de 24 anos, identificado como Daniel Oliveira Felipe foi brutalmente assassinado com 30 facadas por quatro rapazes na madrugada da sexta-feira, 15 de abril. Câmeras de monitoramento da STTP flagraram o momento em que os jovens atacam a vítima. O crime teve repercussão nacional.

14. Valderi Carneiro – Professor de língua portuguesa, 44 anos, brutalmente assassinado por estrangulamento. No local do crime, havia sinais de luta corporal. A vítima foi encontrada morta, na noite de sábado, 9 de junho, dentro de uma pousada, no centro de Campina Grande.

QUEIMADAS

15. Luciana Batista Dantas – Dona de casa divorciada, 38 anos, foi encontrada morta, no dia 10 de fevereiro, ao lado de um prédio abandonado de uma fábrica no distrito do Ligeiro, na cidade de Queimadas, no Agreste. Foi violentada sexualmente antes de ter sido assassinada. O rosto da vítima estava completamente desfigurado por golpes de pedradas.

SOUSA

16. Raimundo Inácio – O homossexual de 50 anos foi esfaqueado e estuprado na sexta-feira, 25 de fevereiro, na cidade de Sousa, no Sertão do Estado. A vítima estava com um homem, não identificado, quando recebeu um golpe de faca peixeira no ânus.

CABEDELO

17. Marx Nunes Xavier – Heterossexual – Heterossexual de 24 anos foi morto na madrugada de segunda-feira, 8 de Agosto, em frente a um bar na Praia do Jacaré, em Cabedelo, na Grande João Pessoa. De acordo com informações da delegada Aurelina Monteiro, da 7ª DD, o crime teria ocorrido após uma discussão entre quatro homens, um deles homossexual. Marx Nunes teria defendido o homossexual que estaria sendo vítima de homofobia. O acusado pelo crime era o jovem Aluísio Lucena, assassinado a tiros no dia 30 de setembro.

BANANEIRAS

18. Djair Pereira Cirne –Dija – Homossexual assumido, 53 anos, morto por volta das 07h do dia 12 de junho, no interior de sua residência, no Sítio Chã do Lindolfo, na cidade de Bananeiras, no Brejo. Conforme a perícia, a vítima foi morta por espancamento, tendo o rosto completamente desfigurado.

SANTA RITA

19. Eliézer Gama dos Santos – Homossexual assumido, 35 anos, assassinado a tiros e ainda teve a cabeça esmagada por uma pedra, na madrugada do dia 17 de setembro de 2011.

PATOS

20. José de Arimatéia da Silva – Travesti assumido, 27 anos, assassinado com vários tiros no dia 16 de outubro. O crime aconteceu às 22h, na rua Ednaldo Torres, por trás da estação ferroviária da cidade de Patos.

21. José Adilson Nóbrega – Homossexual assumido, 23 anos, assassinado com dois tiros na cabeça no dia 8 de dezembro por volta da 00h30. Encontrado em um lugar conhecido como Campo da Buraqueira no bairro Jardim Queiroz. A polícia acredita que tenha motivação de cunho homofóbico.

Portalcorreio

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627