Criança que usa aparelho perde menos dentes na vida adulta

Publicado em segunda-feira, novembro 11, 2013 ·

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Com a ortopedia facial, crianças com dente de leite já podem iniciar tratamento nos dentes. A partir dos sete anos já é indicado marcar a primeira consulta. Nessa fase, ao diagnosticar um problema de desenvolvimento, seja dentário ou esquelético, a possibilidade de corrigi-lo é maior, uma vez que o crescimento e consolidação das bases ósseas ainda estão ocorrendo.

 

Este tipo de intervenção é mais indicado para crianças por inibir, estimular ou direcionar o posicionamento e crescimento da maxila e da mandíbula, trabalho melhor realizado no período de crescimento e de troca de dentes.

 

Este equilíbrio funcional promove estímulos necessários para o desenvolvimento adequado da face e correção de anomalias de crescimento. “Também facilita a fase mais tardia, do aparelho fixo, uma vez que as bases ósseas foram corrigidas e estão bem posicionadas, a correção e o alinhamento dos dentes torna-se mais fácil”, diz o cirurgião-dentista, Pedro Benatti, especialista em ortodontia e ortopedia facial. O tratamento também pode diminuir as chances de extração de dentes.

 

Segundo Benatti, é preferível atender uma criança cedo e ter que dizer ‘vamos esperar’, do que acontecer uma avaliação tardia e desejar que pudesse ter sido feita mais cedo. “Este exame preventivo permite que o especialista determine como e quando os problemas devem ser tratados, no menor e melhor tempo possível”, afirma.

 

Aparelho em dente de leite
Diferente do tratamento ortodôntico convencional, o uso de aparelhos em dente de leite não mexem no dente em si. O objetivo é movimentar os ossos da face, como a mandíbula e maxila, colocando-os mais para frente ou para trás, e até mesmo alargando estes ossos.

 

O tipo de aparelho varia de acordo com cada caso, podendo ser aparelho móvel, aparelho ortopédico ou aparelho funcional. As atuações são diversas: criar espaço para dentes muito apinhados ou dentes que estão em erupção; preservar espaço durante a fase de erupção; estimular ou inibir o crescimento e posicionamento da maxila e da mandíbula, entre outros.

“O tratamento ortodôntico infantil é realizado em aproximadamente um ano a um ano e meio, seguido de observações intermitentes durante a transição da dentição mista para a dentição permanente. As consultas são geralmente a cada três semanas ou um mês”, diz Benatti.

 

Cuidados com o aparelho

 

Fazer uma boa higiene bucal usando aparelho ortodôntico já é difícil para adultos. A tarefa é ainda mais dura para crianças. Por isso que o apoio dos pais é imprescindível. Ao contrário do que se pensa, o aparelho não provoca cáries. A higienização inadequada que faz com que os dentes percam cálcio e minerais, além de inflamar a gengiva. “Uma higienização eficaz exige tempo. Por isso é importante certificar-se de que todas as partes dos dentes, do aparelho e os espaços entre eles estejam limpos”, afirma o dentista.

 

Outro ponto importante são as consultas periódicas (semestrais) para profilaxia, a fim de manter os dentes e gengivas saudáveis.

Sinais que a criança precisa de tratamento

 

– Desvio lateral da arcada superior em relação à inferior;
– Hábito de chupar o dedo que continua mesmo após os seis ou sete anos de idade;
– Dificuldade para mastigar;
– Desgaste desigual ou excessivo dos dentes;
– Espaços entre os dentes (dentes superiores muito à frente dos dentes superiores).
– Dentes superiores e anteriores cobrem a maioria dos dentes inferiores – queixo muito para trás;
– Dentes superiores e anteriores estão atrás dos dentes inferiores – deixando o queixo muito para frente;
– Dentes anteriores não se tocam mesmo com a boca fechada – mordida aberta;
– Apinhamentos ou dentes sobrepostos a outros.

 

Benefícios do tratamento ortodôntico em crianças

 

– Capacidade de modificar o crescimento dos ossos da face;
– Correção da má oclusão (mordida errada) com resultados melhores e mais estáveis;
– Correção de hábitos nocivos de sucção e deglutição;
– Melhora no padrão e na capacidade respiratória;
– Melhora na função mastigatória;
– Menor chance de efeitos colaterais, pois as raízes dos dentes ainda estão pouco desenvolvidas e apresentam respostas biológicas mais favoráveis às forças aplicadas;
-Pacientes em idade infantil apresentam boa cooperação e tendem a lidar bem com o uso de aparelhos dentários.
– A autoestima do paciente e satisfação dos pais são considerados benefícios do tratamento ortodôntico infantil.

 

Terra

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627