CPJ aponta que 67 jornalistas foram mortos durante exercício da profissão em 2012

Publicado em quarta-feira, dezembro 19, 2012 ·

O Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ) revelou que pelo menos 67 jornalistas foram mortos no exercício da profissão em 2012, noticiou o Informador, nessa terça-feira (18/12). O conflito na Síria foi o maior responsável pelo número, com 28 repórteres mortos no país.
A marca é a terceira maior registrada pelo CPJ, atrás de 74 mortes, em 2009, e 70, em 2007. Além disso, a entidade ainda investiga o motivo da morte de outros 30 profissionais.
Segundo o diretor executivo do CPJ, Joel Simon, “os jornalistas são testemunhas oculares e quando você mata um jornalista, diminui a nossa capacidade de compreender os principais eventos globais”.
Entre os jornalistas mortos este ano, 35% eram fotógrafos ou cinegrafistas. Um terço do número total trabalhava em redações de veículos online e 28% eram freelancers. Quase a metade foi morta como retaliação.[bb]
“O ciclo de silêncio funciona da seguinte forma: assassinar um jornalista, morre uma notícia e outros repórteres são intimidados”, disse Simon. “Levantar nossas vozes em defesa de colegas mortos não só uma questão de solidariedade. Para aqueles de nós que se preocupam com as notícias e informações é uma questão de auto-interesse.”
Portal IMPRENSA

Comentários

Tags : , , , , ,

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627