Com benção de Zagallo, Loco Abreu faz 2 e Botafogo massacra Vasco

Publicado em domingo, agosto 7, 2011 ·

botafogoNa semana em que Mário Jorge Lobo Zagallo completará 80 anos, o Botafogo se recuperou com estilo no Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo, com a benção do ex-jogador, que compareceu ao Estádio do Engenhão, o time de General Severiano venceu o clássico contra o Vasco por 4 a 0, com dois gols do ídolo Loco Abreu, e se aproximou da zona de classificação à Copa Libertadores da América. Além do uruguaio, o zagueiro Antônio Carlos e o atacante argentino Herrera também balançaram as redes.

Com a vitória conquistada diante do rival, o Botafogo chegou aos 25 pontos, se manteve na sexta colocação e diminuiu a distância para apenas dois em relação ao Palmeiras, quinto classificado e último time da região da Libertadores. Em contrapartida, o Vasco, já assegurado no torneio sul-americano por conta do título da Copa do Brasil, segue com 27, no quarto posto da tabela.

Antes mesmo de a bola rolar no clássico estadual, o torcedor que compareceu na noite deste domingo no Engenhão encarou o primeiro momento de emoção no pontapé inicial. Prestes a comemorar o 80º aniversário na próxima terça-feira, o ex-jogador da Seleção Brasileira Zagallo foi homenageado pela data e rolou a bola no gramado. Emocionado, caminhou pelo gramado até o grande circulo e tocou para Loco Abreu, recebendo aplausos do público presente. O sistema de som do estádio ainda anunciou que a entrada do setor Oeste receberá uma estátua com a imagem do antigo atleta.

Ovacionado por jogadores como Alecsandro, Renato, Herrera, Felipe e o próprio Loco Abreu, que fizeram questão de cumprimenta-lo, o tetracampeão mundial (esteve nas conquistas de 1958 e 1962, como jogador, 1970, como técnico, e 1994, como auxiliar de Carlos Alberto Parreira) recebeu o carinho dos torcedores, que o receberam sob os gritos de ¿uh, Velho Lobo¿.

E sob a benção do ex-jogador do Botafogo, o clube de General Severiano massacrou o rival durante o primeiro tempo. Rápido e eficiente, o time comandado por Caio Junior abriu três gols de vantagem. Antônio Carlos, aos 10min, abriu o placar no Engenhão. Loco Abreu, que carrega consigo o folclórico número 13 adotado por Zagallo, definiu o jogo ao estufar as redes vascaínas aos 27min e aos 40min.

Embalado pela excelente vitória sobre um dos maiores rivais, o Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), para enfrentar o Atlético-MG, em duelo válido pela fase nacional da Copa Sul-Americana. Já pelo Campeonato Brasileiro, o time de General Severiano atuará no sábado, às 21h, contra o América-MG.

O Vasco, por sua vez, também terá pela frente uma semana com dois compromissos. Na quarta-feira, às 21h50, o clube cruz-maltino receberá em São Januário o Palmeiras, em partida pela Copa Sul-Americana. No Brasileiro, o time da Colina joga no domingo, às 16h, também diante da equipe de Palestra Itália, a quinta colocada na classificação do nacional.

O jogo

A homenagem a um dos maiores nomes da história do Botafogo animou o elenco de Caio Junior nos primeiros minutos. Necessitando da recuperação em virtude da derrota para o Figueirense na última rodada, o time de General Severiano chegou à meta de Fernando Prass com menos de um minuto de jogo. O folclórico lateral esquerdo Cortês avançou pelo lado esquerdo e cruzou na medida Elkeson, que, da entrada da área, chutou firme e exigiu uma boa defesa de Fernando Prass. Aos 3min, o goleiro vascaíno trabalhou novamente, após falta cobrada por Renato.

A blitz armada pelo Botafogo no início do confronto foi decisiva para determinar o ritmo do primeiro tempo, especialmente pelo fato de o time mandante conseguir abrir o marcador no clássico deste domingo. Ainda aos 9min, o meio-campista Renato cobrou escanteio na medida para o zagueiro Antônio Carlos desviar para o gol, no contrapé de Fernando Prass.

A vantagem conquistada logo no início do confronto permitiu ao Botafogo explorar os contra-ataques, uma das principais características do time de Caio Junior. Explorando as laterais, especialmente a esquerda com Cortês, um dos destaques do confronto, o time de General Severiano seguiu criando oportunidades e anulando a cadência do meio-campo adversário.

Agressivo e veloz, o Botafogo conseguiu marcar o segundo gol aos 27min. Cortês arrancou pelo lado esquerdo, apareceu no meio-campo e descolou um lindo passe para Herrera, que chutou na direção de Fernando Prass. Todavia, no rebote, o oportunista Loco Abreu chutou firme, de pé direito, e estufou as redes vascaínas pela primeira vez na noite.

Primeira, porque o uruguaio, que veste a camisa 13, justamente o número tão apreciado na superstição de Zagallo, novamente apareceu para tranquilizar ainda mais o Botafogo no jogo. Renato dominou no meio-campo e achou Lucas na lateral direita. O ala carregou até a linha de fundo e cruzou, exigindo uma ótima defesa de Fernando Prass. No rebote do goleiro, Elkeson tocou de cabeça para Loco Abreu, que soltou a bomba e marcou o terceiro.

Embora organizado dentro de campo, o Vasco sofreu com a eficiência e velocidade do Botafogo no primeiro tempo. Cortês, pela esquerda, e Herrera, pela direita, anularam os laterais vascaínos e tiveram fundamental participação no soberbo placar sacramentado pelo time de Zagallo no clássico deste domingo no Estádio do Engenhão.

Avassalador, o Botafogo voltou com o mesmo forte ritmo da primeira etapa. Para parar tal intensidade, Ricardo Gomes recorreu a Juninho, que entrou no intervalo na vaga de Márcio Careca. Sem um lateral esquerdo de ofício em campo, o treinador recuou o volante Jumar para reforçar o combate pelo setor, mas não conseguiu: aos 5min, após cobrança de falta pela direita do ataque botafoguense, Loco Abreu desviou no ângulo e exigiu ótima defesa do goleiro rival.

O massacre do clube de General Severiano se manteve durante a segunda etapa. Depois de exigir a intervenção de Fernando Prass, o Botafogo voltou a assustar o goleiro vascaíno aos 15min. Cortês fez grande jogada pela esquerda e cruzou na medida para Loco Abreu. Completamente livre dentro da área, o centroavante uruguaio, sem goleiro, chutou na trave.

A melhor atuação do Botafogo neste Campeonato Brasileiro irritou completamente o elenco vascaíno, e o reflexo se deu em Diego Souza. Irritado com a não marcação de uma falta, o meia-atacante recebeu dois cartões amarelos em segundos, desfalcando o já fragilizado Vasco.

Com um a mais, o Botafogo apenas ditou o ritmo até o final, mas consolidou a recuperação no Campeonato Brasileiro em grande estilo. Em contra-ataque nos acréscimos, Renato rolou para Herrera, dentro da área, finalizar firme, tirando de Fernando Prass. Goleada da equipe que consagrou Mário Jorge Lobo Zagallo.

FICHA TÉCNICA

Botafogo x Vasco

Gols:

Botafogo: Antônio Carlos, aos 9min do primeiro tempo; Loco Abreu, aos 27min e aos 40min do primeiro tempo; e Herrera, aos 46min do segundo tempo

Botafogo
Jefferson; Lucas, Fábio Ferreira, Antônio Carlos e Cortês (Márcio Azevedo); Marcelo Mattos, Renato, e Felipe Menezes (Lucas Zen) e Elkeson (Cidinho); Herrera e Loco Abreu.
Técnico: Caio Junior.

Vasco
Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca (Juninho); Rômulo, Jumar, Felipe (Leandro) e Diego Souza; Éder Luís (Julinho) e Alecsandro.
Técnico: Ricardo Gomes.

Cartões Amarelos
Botafogo: Cortês e Elkeson
Vasco: Dedé, Jumar e Diego Souza

Cartões Vermelhos
Vasco: Diego Souza

Árbitro
Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Local
Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Terra

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627