Cidade no Ceará não paga conta e fica sem energia e telefone

Publicado em terça-feira, setembro 6, 2011 ·

energiaCom as contas de luz e telefone atrasadas, a cidade de Jaguaribara, a 254 km de Fortaleza, está sem iluminação pública há cerca de um mês e esta semana a prefeitura municipal deixou de fazer e receber chamadas telefônicas, por falta de pagamento. Em julho, a empresa distribuidora de energia no Ceará, Coelce, havia ganhado na Justiça o direito de cortar a energia da cidade, inadimplente há cinco anos. Prefeito diz que a população da cidade saltou de nove mil habitantes para 70 mil e as contas aumentaram.

A empresa não cortou energia de hospitais, escolas e de poucos postes nas ruas, para não deixar a cidade completamente escura à noite. De acordo com a Coelce, a iluminação particular nas casas e comércios não foi afetada, apenas a iluminação pública e dos prédios municipais, incluindo a prefeitura, o matadouro local e a praça no Centro da Cidade. Nesta semana, o município teve as linhas telefônicas da prefeitura cortadas por falta de pagamento.

O prefeito da cidade, Edvaldo Almeida Silveira, diz que aguarda verba do Governo do Estado para pagar a conta e regularizar a situação do município. O prefeito explica que a população de Jaguaribara cresceu depois da mudança de local da cidade e do replanejamento. A cidade tem 10.399 habitantes, segundo o censo demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O município é o primeiro do Ceará totalmente planejado, após a desapropriação da área original da cidade para a criação da barragem Castanhão, concluído em 2003.

De acordo com Edvaldo Almeida, o salto populacional da cidade aumentou as contas de Jaguaribara e o estado se comprometeu a repassar uma verba mensal da Secretaria das Cidades para pagar contas como a de abastecimento da energia. Segundo Edvaldo Almeida, até o fim desta semana a verba deve chegar aos cofres municipais e sanar a falta de energia. Ainda segundo o prefeito, a conta de luz da cidade saltou de R$ 96 mil em 2002 para R$ 1,1 milhão em 2010.

A dona de casa Maísa Vasconcelos diz que a cidade ficou mais perigosa com a escuridão. “À noite, na minha rua, ninguém sai mais. Ficou todo mundo preso dentro de casa”, reclama a moradora.

O serviço de telefonia, pago com verba da prefeitura já foi pago e deve ser restabelecido pela operadora também nesta semana, segundo o prefeito de Jaguaribara. Enquanto a situação não é resolvida, a população de Jaguaribara fica às escuras e sem poder telefonar para a prefeitura local.

G1

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627