Chuvas já deixam 82 cidades em emergência ou calamidade pública no Nordeste

Publicado em sexta-feira, Maio 13, 2011 ·

13ne-zAs chuvas que atingem o Nordeste já levaram 73 cidades a decretarem situação de emergência e nove a enfrentarem estado de calamidade pública em 2011. Todos os nove Estados têm pelo menos uma cidade nessa situação, segundo dados da Secretaria Nacional de Defesa Civil e das defesas civis estaduais. Três pessoas morreram e mais de 70 mil estão fora de suas casas em cinco Estados.

Esta semana foram mais cinco municípios passaram a englobar a lista de emergência: Itaju de Colônia (Bahia), Dom Pedro, Nina Rodrigues, Centro Novo e Maracaçumé (no Maranhão).

Dos 82 municípios mais atingidos na região, 67 já estão com decretos de situação de emergência ou estado de calamidade pública na Secretaria Nacional de Defesa Civil, seja reconhecido ou em análise, enquanto outros 15 estão ainda em trâmites burocráticos estaduais – na Paraíba são 13 nessa situação. Para que um município entre oficialmente em situação de emergência ou calamidade pública é preciso que a prefeitura decrete, o Estado homologue e a Defesa Civil Nacional reconheça (veja box abaixo).

O número de municípios em emergência e calamidade pública é o maior dos últimos anos. Em 2010, por exemplo, o Nordeste contabilizava, em decretos publicados até 13 de maio, 59 cidades em emergência e nenhuma em calamidade pública. Desse total, 54 eram dos Estados da Bahia e de Sergipe, que também viveram grandes enchentes em abril. Este ano, o número de cidades nordestinas atingidas é 39% maior.

A situação deve se agravar nas próximas semanas, já que maio, junho e julho são, historicamente, os que registram maiores índices pluviométricos na região.  “A previsão climática para o trimestre maio a julho de 2011 continua indicando maior probabilidade de chuvas acima da média climatológica para a faixa leste da região Nordeste do Brasil. Considerando, no decorrer deste trimestre, a persistência do fenômeno La Niña na faixa leste do Nordeste, ainda podem ocorrer eventos climáticos extremos”, afirmou o meteorolgista Humberto Barbosa.

Desabrigados

Dos nove Estados nordestinos, cinco enfrentam os maiores problemas com as chuvas. A situação mais crítica está em Pernambuco, onde 26 municípios decretaram situação emergência e nove, estado de calamidade pública. Duas pessoas morreram em Camaragibe e Jaqueira.

Segundo dados da Defesa Civil estadual, 3.274 famílias ainda estão desabrigadas e 12.621, desalojadas –o que significa cerca de 60.000 pessoas. A região mais afetada é a zona da mata sul, por conta da enchente do rio Una, que invadiu várias cidades no último dia 28. As chuvas destruíram os sistemas de abastecimento e, até esta sexta-feira (13), cinco municípios enfrentavam problemas no abastecimento de água, com destaque para Lagoa do Carro, que está 100% sem abastecimento.

A Defesa Civil informou que, até esta quinta-feira (12), foram distribuídas aos desabrigados e desalojados mais de 20 mil cestas básicas e prontas para consumo, além de 6.380 colchões, 4.951 cobertores, 3.602 kits de limpeza e 255.400 litros de água mineral.

Em Alagoas, a Defesa Civil estadual informa que o número de desabrigados e desalojados ainda chega a 6.486. No Estado, uma pessoa morreu, em São Luiz do Quitunde, por conta de um deslizamento de barreira. Ainda segundo a Defesa Civil, já foram distribuídas mais de 1.000 cestas básicas nos nove municípios em situação de emergência.

No Rio Grande do Norte, onde três cidades estão em situação de emergência, o nível das águas do rio Pataxó continua alagando  áreas urbanas de Ipanguaçu, no Vale do Açu. Segundo a Defesa Civil, 578 pessoas estão desalojadas ou desabrigadas e 300 famílias ainda estão vivendo em áreas de risco e podem ser prejudicadas nos próximos dias, caso o nível do rio suba mais. A enchente teve início no dia 24 e, segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, cerca de 4.000 alunos estão sem aula.

Já no Maranhão, onde 13 cidades estão em emergência, existem  3.255 desalojados e 855 desabrigados, conforme dados da Defesa Civil estadual. A cidade mais afetada é Governador Nunes Freitas, na região Norte, que tem pouco mais de 1.000 desabrigados e desalojados. A maior preocupação estava no rio Mearim, que estava, nesta sexta-feira, com 3,72 metros acima do nível normal na região da cidade de Bacabal.

A Paraíba tem 13 cidades em emergência. Porém, segundo a Defesa Civil estadual, ainda estão sendo organizados os documentos para a elaboração dos formulários da avaliação de danos, que serão encaminhados ao governo federal para o reconhecimento da situação. O número de famílias desalojadas ou desabrigadas é de 552 — cerca de 2.100 pessoas.

O governo informou que em Natuba, na divisa com Pernambuco, cerca de 100 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, e a Defesa Civil realiza distribuição de cestas básicas, lençóis, toalhas, travesseiros e mosquiteiros. O Programa ‘Pão e Leite’ está distribuindo 200 litros de leite pasteurizado por dia  e  500 pães. O material é doado pelas empresas que fornecem alimentação ao governo do Estado.

Uol

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627