Caso Rebeca: delegado nega prisão de padrasto, garante ter ouvido dezenas de pessoas e já vê suspeitas

Publicado em terça-feira, julho 19, 2011 ·

rebecAO delegado Pedro Ivo desmentiu, durante coletiva nesta terça-feira (19), que o padrasto de Rebeca Cristina, assassinada com um tiro na nuca na segunda-feira (11), na mata de Jacarapé, esteja preso e que ele assumiu o crime. “Nada disso procede. Foi um boato irresponsável divulgado pela internet”, disse. O delegado revelou ainda que já foram ouvidas dezenas de pessoas, entre familiares, amigos e colegas de estudo da garota e a polícia já tem condições de apontar suspeitos.

“Nós já fizemos várias diligencias no caso Rebeca. Mas até o presente momento nenhuma pessoa se encontra presa sobre acusação de ter cometido o crime. Já ouvimos familiares, amigos, estudantes, que deram informações muito importantes. Mas esse é um crime que não podemos nos precipitar para divulgar informações equivocadas e acusar alguém”, pontuou o delegado.

Segundo Pedro Ivo, foram solicitados vários exames periciais junto ao Instituto de Perícia Cientifica. “As provas técnicas têm robustez muito grande. Foram feitas coleta de fungo nas roupas das pessoas… Material genético para confrontar com possíveis suspeitos. Estamos aguardando resultado dos laudos periciais pelo IPC. Quando esses laudos forem encaminhados para a delegacia poderemos seguir melhor com a investigação”, explica.

Em relação ao boato que envolveu o padrasto de Rebeca, Pedro Ivo falou: “Esse boato ocorreu na internet, a notícia foi bem difundida. Mas é uma informação absolutamente improcedente. Os boatos diziam que o padrasto da vítima é policial militar e teria se entregado à Polícia Civil, a informação não tem a menor procedência. O padrasto está em sua residência, não está preso, nem detido. A informação foi divulgada de forma irresponsável, deveriam ter cuidado em divulgar essas notícias”, desabafou o delegado.

Segundo o delegado, as oitivas trouxeram informações relevantes para o caso e certamente contribuíram que a Polícia venha a desvendar o crime.

Roupas íntimas – Pedro Ivo confirmou também que até o momento não foi encontrada a farda de Rebeca. A adolescente estava apenas com roupas intimas quando foi localizada.

Questionado se a jovem poderia ter sido morta em outro local e depois transferida para Jacarapé, o delegado afirmou que essa hipótese também está sendo estudada.

“Todas as hipóteses foram levadas em consideração. Mas não podemos afirmar se ela foi executada noutro local e levada para lá. Só poderemos saber isso quando forem entregues os exames de IPC e cadavérico. Serão eles que vão apontar o momento em que ela foi morta e se foi morta ou não naquele local”, explicou o delegado.

O prazo para entrega do laudo é de 10 dias.

Paulo Dantas

Paraíba.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627