recém-nascido

Bebês que choram mais de 3 horas por dia por, pelo menos, três dias a cada semana podem sofrer com cólicas

Publicado em terça-feira, setembro 3, 2019 ·

Saiba como aliviar este incômodo do recém-nascido

As bebês geralmente começam por volta do 15º dia de vida e podem perdurar por até 3 meses de idade.  Ela é causada simplesmente pela imaturidade do intestino, mas sem uma fisiopatologia específica. O trato intestinal do bebê ainda está se formando, por isso faz movimentos descoordenados que provocam a dor. Outro fator é a presença de ar no sistema digestivo. A pega incorreta na hora de mamar pode fazer com que o bebê acabe engolindo ar, que pode ser eliminado na forma de arroto ou se transformar em gases, fazendo pressão no intestino e dando origem às cólicas. Isso também pode acontecer com o uso da chupeta.

Nessas horas, é comum as mamães de primeira viagem ligarem para as vovós para saber o que fazer atrás de uma “receitinha caseira”, entre elas o famoso chazinho de camomila e erva-doce. E foi pensando nessa receita da vovó que a Algoducci criou a “Bolsinha Térmica com Sementes Terapêuticas” que contém erva-doce, camomila, linhaça e capim-santo para dar um cheirinho especial.

Além de ser recomendável para amenizar o desconforto tanto das cólicas quanto dos gases dos bebês, a bolsinha também é indicada para cólicas menstruais, informa a empresária Regina Villanueva, idealizadora da marca. Quanto a forma de utilização Regina explica: “A bolsinha deve ser aquecida no micro-ondas em média 30 a 40 segundos, mas é aconselhável que a mãe teste a temperatura antes de colocar na barriguinha do bebê, por cima da roupinha, até que os sintomas passem”.

Se a crise de cólica é rotineira no seu dia a dia, enquanto o choro parece que nunca vai terminar, a ocorrência desses incômodos abdominais pode estar relacionada com o local no qual vocês vivem. Um estudo publicado no portal Journal of Pediatrics, feito a partir da análise de 28 pesquisas com dados de 8.700 crianças de diferentes nacionalidades, buscou analisar e comparar a ocorrência de cólicas em bebês de até três meses em diferentes regiões do mundo.

Para realizar o estudo, foi considerado que crianças que choram mais de 3 horas por dia por, pelo menos, três dias a cada semana, são as que mais padecem. E, adivinhe só: os ingleses, canadenses e italianos são os que mais choram de dores abdominais. Já os bebês dinamarqueses, alemães e japoneses são os menos acometidos por esse mal-estar.

Muitas são as dúvidas e inseguranças quanto aos motivos do choro do bebê, que servem de alerta para as mães. E para falar sobre esse assunto, consultamos a pediatra Dra. Loretta Campos, que esclarece: “As cólicas podem ser identificadas quando o bebê chora com intensidade, encolhe as perninhas e arqueia as costas para trás, estica-se e se espreme, além de soltar puns. Normalmente a cólica ataca no final da tarde e à noite, mas em casos mais difíceis o bebê chora a qualquer hora do dia. Pode ficar difícil dar de mamar para o bebê quando ele está tão desconfortável, algumas vezes a cólica pode aparecer durante a amamentação”, explica a médica.

Os pesquisadores dizem não haver nenhuma explicação, já que as variáveis durante a análise foram muitas. “Isso [a ocorrência da dor abdominal] pode variar conforme as condições econômicas, como a desigualdade social, cuidados parentais e comportamento. No entanto, também pode haver diferenças genéticas populacionais, considerando que as crianças herdam os genes de seus pais”, explicam os cientistas.

 

Algoducci – luxuosa confecção de mantas em tricot italiano e enxovais para casa e bebê, no mercado desde 2012, representa um convite ao bem-estar, às melhores memórias afetivas e à sensibilidade. Evoca estes sentidos através de formas, cores e texturas. A marca é liderada pela arquiteta e urbanista Regina Villanueva, que desde a infância sonhava em unir duas paixões: a arquitetura e os negócios. Cada peça recebe em seu DNA, a exclusividade e a assinatura de um projeto único. Os elementos de cada coleção criam atmosferas leves e aconchegantes, revelando um conceito elegante e sofisticado, sem perder a inocência e a leveza dos detalhes.

Loretta Campos

Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Assessoria de Comunicação 

Comentários

Tags : , , ,

REDES SOCIAIS














INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627