Brasil

Barragem se rompe em Brumadinho e atinge casas; vítimas são levadas para BH

Publicado em sexta-feira, Janeiro 25, 2019 ·

Uma barragem de rejeitos da empresa mineradora Vale rompeu na tarde desta sexta-feira (25) na cidade de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. A Defesa Civil do estado e o Corpo de Bombeiros enviaram equipes ao local para avaliar a extensão do problema. Aeronaves das corporações sobrevoam a área. Emissoras de TV mostraram imóveis e veículos atingidos pelos rejeitos e o resgate de moradores. Duas vítimas foram encaminhadas para o hospital estadual João XXIII, na capital mineira — o estado delas é estável.

Em nota, o Ibama informou que a Barragem VI no Córrego do Feijão tem um volume de 1 milhão de m³ de rejeito de mineração — no desastre de Mariana, o volume da barragem era de 50 milhões de m³.

 

As principais preocupações no momento, de acordo com o órgão federal, são o resgate de vítimas e a proteção de pontos de captação de água.

O governo de Minas Gerais disse em nota que uma força-tarefa do estado está no local do rompimento e que designou a formação de um gabinete estratégico de crise para acompanhar de perto as ações.

Em nota, a Vale confirmou o rompimento e disse que acionou um plano de atendimento a emergência. “As primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Ainda não há confirmação se há feridos no local”, diz o texto (leia abaixo a íntegra da nota).

Situado no município, o Instituto Inhotim, considerado o maior museu a céu aberto do mundo, também está sendo esvaziado.

O rompimento aconteceu na região do córrego do Feijão, que deságua no rio Paraopeba. A Prefeitura de Brumadinho emitiu um comunicado nas redes sociais pedindo que a população mantenha distância do leito do Paraopeba. Equipes do hospital municipal João Fernandes do Carmo estão de prontidão, mas não haviam recebido vítimas até as 14h40.

O vice-prefeito de Brumadinho, Leônidas Maciel, afirmou à Band News que vários lugares do município foram atingidos e inundados, e que o comércio está sendo fechado.

O radialista Vanderlei Rodrigues, da Rádio Regional FM de Brumadinho, diz que os rejeitos já começaram a chegar ao centro da cidade, pelo leito do rio Paraopebas, que corta o município. “A água já está ficando marrom, começou a chegar aqui”, disse em conversa ao telefone com o UOL por volta das 14h40. “Como nos últimos dias choveu muito pouco e o leito do rio é largo aqui na cidade, tem bastante vazão, estamos com a esperança que ele seja o suficiente para vazar a lama que vem lá de cima sem transbordar, vamos ver nas próximas horas.”

Rodrigues diz que aparentemente a área mais atingida pelo rompimento foi a da própria Vale, próxima à barragem. De acordo com o radialista, abaixo da barragem havia algumas propriedades rurais, como sítios e fazendas, e alguns restaurantes e pousadas. “Os bombeiros já resgataram gente lá, mas ainda não divulgaram informações sobre os feridos ou mortos. Estamos acompanhando ao vivo aqui para ajudar a orientar a população.”

Ele conta que parte do centro, mais próxima ao leito do rio, foi esvaziada e está deserta.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, informou que uma equipe do governo federal já está a caminho de Brumadinho. A reportagem apurou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) almoçou em seu gabinete no Palácio do Planalto e, às 14h, logo após o rompimento da barragem começar a ser divulgado, entrou em reunião com o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, como estava previsto em sua agenda.

Tragédia de Mariana

O caso acontece três anos e dois meses após o rompimento de uma barragem da Samarco em um distrito de Mariana, também em Minas Gerais. A Vale é uma das controladoras da Samarco. Dezenove pessoas morreram na ocasião e milhares perderam as casas em função do vazamento de 40 bilhões de litros de lama.

Nota da Vale

Veja a íntegra da nota da empresa.

“A Vale informa que ocorreu, no início da tarde de hoje, o rompimento de uma barragem na Mina Feijão, em Brumadinho (MG). As primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco. Ainda não há confirmação se há feridos no local. A Vale acionou o Corpo de Bombeiros e ativou o seu Plano de Atendimento a Emergências para Barragens.

A prioridade total da Vale, neste momento, é preservar e proteger a vida de empregados e de integrantes da comunidade.

A companhia vai continuar fornecendo informações assim que confirmadas.”

 

UOL 

 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627