Barbaridade: Polícia caça vigilante acusado de matar professor com 45 facadas

Publicado em quarta-feira, setembro 10, 2014 ·

procuradoDepois de receber dois homens em sua casa, que teriam sido contratados para fazer reparos na parte elétrica do imóvel, o professor de História Ronaldo de Jesus da Silva, de 52 anos, foi morto com 45 facadas, no Engenho da Rainha, na Zona Norte do Rio.O corpo do professor foi encontrado no dia 10 de junho, três dias depois do crime. Suspeito de ser um dos assassinos, o vigilante João Batista Belizio da Silva, de 24 anos, teve a prisão temporária decretada pelo Juiz Fábio Uchoa, da 1ª Vara Criminal da capital.

Ele está sendo caçado por homens da Divisão e Homicídios (DH), encarregada de investigar o caso. Segundo o delegado Alexandre Herdy, o vigilante foi reconhecido por testemunhas como sendo uma das duas últimas pessoas a serem vistas ao lado do professor, pouco antes dele ser assassinado. Além disto, João Batista também usou um telefone para entrar em contato com a vítima, quando pediu que Ronaldo abrisse a porta do imóvel. Ainda não se sabe o que motivou o assassinato.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

— Não há dúvidas da participação do vigilante no crime. Queremos agora identificar o outro homem que participou do assassinato. Sabemos que o outro acusado é um homem alto e moreno e que, na ocasião do assassinato, usava uma camisa preta — disse o delegado.

 João Batista Belízio, acusado de ser um dos assassinos do professor de história Ronaldo de Jesus

João Batista Belízio, acusado de ser um dos assassinos do professor de história Ronaldo de Jesus Foto: Divulgação/polícia Civil

Como o corpo do professor, que morava sozinho, estava em adiantado estado de decomposição, não foi possível saber se ele chegou a lutar com seus assassinos. Os golpes de faca atingiram o rosto e o peito da vítima. Pelo menos um aparelho celular chegou ser levado pelos bandidos.

 

Depois do crime, os assassinos teriam fechado o imóvel. O corpo só foi encontrado depois que vizinhos sentiram um forte mau cheiro e chamaram a polícia. De acordo com o delegado Alexandre Herdy, João Batista Belizio seria morador do Complexo do Alemão.

— Já o procuramos no Complexo do Alemão e na Vila Cruzeiro, mas ele conseguiu fugir. Quem souber de alguma informação sobre o crime ou sobre o vigilante, pode ligar para o Disque-denúncia. Não é necessário se idemtificar — disse o delegado.

Extra Online 

 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627