Todos os posts de Focando

Humorista paraibano Renan da Resenha é internado com Covid-19 e pede orações

O humorista paraibano Renan da Resenha revelou, neste sábado (4), que foi acometido pela Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus. Ele contou, em seu perfil no Instagram, que está internado e em tratamento.

“Estou internado em tratamento e usando todas as minha forças nesta batalha. Tem sido difícil, doloroso e assustador demais. Porém, não se passa nada em minha cabeça além da cura. Deus vai me curar junto a equipe médica que estão me tratando com maior carinho do mundo!”, disse o artista.

Renan ainda pediu orações aos seus fãs e disse que ‘quer muito viver’.

“Essa é a maior batalha da minha vida e Só tenho um pedido a vocês. Rezem por mim gente! Quero muito viver… prometo recompensar cada oração com muita alegria e sorrisos naquele dia difícil que vc viver! Um beijo grande em cada um! VAMOS VENCER!”, declarou.

Renan da Resenha ganhou destaque com seus vídeos humorísticos no YouTube e conseguiu amizade com diversos artistas, como Gabriel Diniz. Com 1 milhão de seguidores apenas no Instagram, ele também faz sucesso com shows pelo país e já apareceu em programas de âmbito nacional como ‘Conversa com Bial’ e ‘The Noite com Danilo Gentili’.

Portal WSCOM

 

Registro de casos de coronavírus cai pela 2ª semana seguida na PB

A Paraíba contabilizou, nas últimas 24 horas, mais 1.541 casos confirmados de Covid-19, totalizando 52.306. O número de óbitos em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus subiu de 1.062 para 1.082 entre essa sexta (3) e este sábado (4). Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

De acordo com o boletim da SES, 17.798 pessoas já se recuperaram da doença. A última atualização aponta que 149.064 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados na Paraíba.

Resumo | Últimas 24h na Paraíba

  • Confirmados: 52.306 (eram: 50.765)
  • Descartados: 58.569 (eram: 52.476)
  • Cidades atingidas: 218 (estável)

Dentre os casos confirmados:

  • Internados: 467 (eram: 432)
  • Isolados em casa: 32.959 (eram: 32.300)
  • Recuperados: 17.798 (eram 16.971)
  • Mortos: 1.082 (eram: 1.062)

Registro de casos desacelera pela 2ª semana seguida

Entre domingo (29) e este sábado (4), a Paraíba saiu de 45.057 para 52.306 confirmações, 7.249 casos a mais, o que representa uma alta de 16% em uma semana, frente aos 20,3% de aumento da semana anterior, ou seja, 4 pontos percentuais a menos. Em média, foram 1.036 confirmações por dia nessa semana, número 2,7% menor que a média diária da semana anterior, que era de 1.065.

 

portalcorreio

 

 

Luciano Huck anuncia retorno do ‘Caldeirão do Huck’ aos Estúdios Globo

Luciano Huck, 48, aproveitou os momentos finais do “Caldeirão do Huck” deste sábado (4) para anunciar que, a partir da próxima semana, o programa volta a ser apresentado dos Estúdios Globo. Durante a quarentena para evitar a disseminação do coronavírus, a atração foi comandada da casa do apresentador, que chamava quadros produzidos antes da pandemia.

De acordo com a Comunicação da Globo, as gravações seguirão um rigoroso protocolo de segurança. “Após o retorno do ‘Encontro com Fátima’ e de experimentar novas maneiras e conceitos de criar e gravar, chegou a vez de o ‘Caldeirão do Huck’ recomeçar a gravar nos Estúdios Globo”, diz comunicado.

“Em esquema especial, seguindo todos os cuidados do protocolo, mas sem perder a sua marca registrada, o programa conta, pela primeira vez, com uma plateia virtual”, afirma a emissora. “O público participa das gravações e conversa com Luciano Huck através de uma chamada de vídeo exibida no telão.”

O apresentador gravou pela primeira vez seguindo o novo esquema na última quarta-feira (1º). Segundo a Globo, foram gravados episódios dos quadros “Gonga La Gonga” e “Que Tal um Pouco de Esperança e Boas Notícias”, além de entrevistas especiais. “Assim como a plateia, todas as atrações e convidados entraram no programa remotamente, por vídeo”, informa.

 

FOLHAPRESS

 

 

Após ordem judicial, Globo transmitirá duelo entre Fluminense e Botafogo

A TV Globo informou neste sábado (4) que vai exibir a partida entre Fluminense e Botafogo, pela semifinal da Taça da Rio, neste domingo (5), às 16h. Em nota, a emissora diz que cumprirá uma decisão judicial que a obriga a exibir o duelo mesmo após ter rescindido o contrato de transmissão do Estadual do Rio na última quinta (2), alegando quebra de exclusividade.

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) obteve na noite de sexta-feira (3) uma liminar na 24ª Vara Cível do Rio de Janeiro contra a rescisão unilateral do contrato pela Globo. A juíza Eunice Bittencourt Haddad, responsável pela decisão, também determinou que a emissora exiba as semifinais e final da Taça Rio e a final do Estadual e estabeleceu multa de R$ 5 milhões em caso de descumprimento da decisão judicial.

“A Globo vai recorrer da decisão, mas, em respeito à Justiça e aos clubes, dos quais é parceira histórica, vai transmitir a partida”, diz o comunicado da emissora. “A Globo esclarece que os clubes são livres para transmitir seus jogos ou autorizar que terceiros os transmitam, uma vez que o contrato foi rescindido.”

Além da exibição da partida em TV aberta para as praças do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Juiz de Fora (MG), Distrito Federal, Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Pará, Amapá, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Sergip, o SporTV e o Premiere também exibem Fluminense x Botafogo.

Na quinta, a emissora carioca decidiu rescindir o contrato firmado com a federação (Ferj) e os outros 11 times da competição um dia após o Flamengo exibir o jogo diante do Boavista em seu canal oficial no YouTube.

“No entendimento da Globo, o contrato foi violado ontem [quarta, dia 1º], quando a FlaTV exibiu ao vivo a partida entre Flamengo e Boavista”, afirmou a emissora.

Apesar de ter decidido romper o contrato e encerrar suas transmissões do campeonato deste ano, a Globo afirma que, “por liberalidade”, manterá os pagamentos devidos aos times com quem acertou.

Para exibir a partida na FlaTV, o clube rubro-negro se diz amparado pela Medida Provisória 984, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e publicada no Diário Oficial do último dia 18.

A medida dá ao clube mandante a prerrogativa de comercializar seus direitos de transmissão. Até então, o texto da Lei Pelé previa que esse direito pertencia às duas partes envolvidas na partida.

A MP poderá ser aprovada ou rejeita pelo Congresso em até 60 dias, renováveis pelo mesmo período, e enquanto isso vigora com poder de lei.

“A Globo entende que a Medida Provisória não poderia alterar um contrato celebrado antes de sua edição e protegido pela Constituição”, diz a emissora em seu comunicado.

A Folha de S.Paulo teve acesso à carta da Globo enviada para os clubes e a Ferj. Ela diz que a federação não fez cumprir o artigo 136 do regulamento geral da competição (“somente a entidade pode autorizar a transmissão de partidas”) e que “falhou no dever contratual, o que por si só justifica a rescisão”.

A equipe rubro-negra sinalizou que continuará transmitindo em seu canal as próximas partidas do estadual em que for mandante. Mas é possível que isso ocorra apenas mais uma vez, na semifinal da Taça Rio. O mando da decisão do turno será definido por sorteio.

A Ferj disse que o caso será entregue ao departamento jurídico da entidade e pediu aos times que, mesmo como mandantes, não transmitam suas partidas até que haja uma decisão posterior.

 

FOLHAPRESS

 

 

Paraíba ultrapassa os 52 mil casos de Covid-19; 1.082 já morreram pela doença no estado

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou, neste sábado (4), que a Paraíba registrou 1.541 novos casos de Covid-19 e 20 óbitos confirmados desde a última atualização, 4 deles ocorridos nas últimas 24h.

São 52.306 pessoas que já contraíram a doença, 17.798 que já se recuperaram e 1.082 faleceram. Até o momento, 149.064 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 62%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 69%. Em Campina Grande, estão ocupados 64% dos leitos de UTI adulto e no sertão, 52% dos leitos de UTI para adultos.

O índice de Isolamento Social foi de apenas 38,9%, considerado baixo em relação à meta de 70% e à mínima de 50%.

Os casos confirmados estão distribuídos por 218 dos 223 municípios paraibanos:

Água Branca (33); Aguiar (17); Alagoa Grande (454); Alagoa Nova (177); Alagoinha (488); Alcantil (21); Algodão de Jandaíra (3); Alhandra (361); Amparo (12); Aparecida (33); Araçagi (306); Arara (104); Araruna (110); Areia (178); Areia de Baraúnas (1); Areial (30); Aroeiras (96); Assunção (26); Baia da Traição (201); Bananeiras (83); Baraúna (116); Barra de Santa Rosa (18); Barra de Santana (60); Barra de São Miguel (7); Bayeux (921); Belém (348); Belém do Brejo do Cruz (9); Bernardino Batista (3); Boa Ventura (3); Boa Vista (53); Bom Jesus (6); Bom Sucesso (7); Bonito de Santa Fé (2); Boqueirão (150); Borborema (7); Brejo do Cruz (118); Brejo dos Santos (8); Caaporã (770); Cabaceiras (11); Cabedelo (1929); Cachoeira dos Índios (44); Cacimba de Areia (7); Cacimba de Dentro (52); Cacimbas (40); Caiçara (249); Cajazeiras (633); Cajazeirinhas (1); Caldas Brandão (96); Camalaú (1); Campina Grande (7067); Capim (103); Caraúbas (24); Carrapateira (20); Casserengue (135); Catingueira (15), Catolé do Rocha (169); Caturité (61); Conceição (34); Condado (80); Conde (422); Congo (36); Coremas (37); Coxixola (12); Cruz do Espírito Santo (184); Cubati (45); Cuité (113); Cuité de Mamanguape (58); Cuitegí (155); Curral de Cima (15); Curral Velho (1), Damião (3); Desterro (36); Diamante (3); Dona Inês (24); Duas Estradas (42); Emas (3); Esperança (280); Fagundes (47); Frei Martinho (3); Gado Bravo (69); Guarabira (2441); Gurinhém (200); Gurjão (19); Ibiara (11); Igaracy (4); Imaculada (17); Ingá (387); Itabaiana (664); Itaporanga (48); Itapororoca (253); Itatuba (157); Jacaraú (138); Jericó (5); João Pessoa (14631); Joca Claudino (2); Juarez Távora (166); Juazeirinho (117); Junco do Seridó (27); Juripiranga (321); Juru (11); Lagoa (3); Lagoa de Dentro (45); Lagoa Seca (439); Lastro (13); Livramento (43); Logradouro (64); Lucena (193); Mãe d’Água (12); Malta (21); Mamanguape (1382); Manaíra (7); Marcação (56); Mari (434); Marizópolis (8); Massaranduba (181); Mataraca (105); Matinhas (45); Mato Grosso (7); Matureia (24); Mogeiro (79); Montadas (34); Monteiro (108); Mulungu (188); Natuba (44); Nazarezinho (7); Nova Floresta (18), Nova Olinda (6); Nova Palmeira (35); Olho D´Água (34); Olivedos (37); Parari (4); Passagem (29); Patos (1641); Paulista (64); Pedra Lavrada (22); Pedras de Fogo (993); Pedro Régis (26); Piancó (66); Picuí (91); Pilar (169); Pilões (38); Pilõezinhos (166); Pirpirituba (108); Pitimbu (491); Pocinhos (63); Poço Dantas (3); Pombal (162); Prata (2); Princesa Isabel (41); Puxinanã (193); Queimadas (569); Quixaba (26); Remígio (160); Riachão (26); Riachão do Bacamarte (188); Riachão do Poço (35); Riacho de Santo Antônio (17); Riacho dos Cavalos (4); Rio Tinto (538); Salgadinho (10); Salgado de São Felix (109); Santa Cecília (20); Santa Cruz (13); Santa Helena (10); Santa Inês (15); Santa Luzia (172); Santa Rita (1336); Santa Terezinha (31); Santana de Mangueira (1); Santana dos Garrotes (6); Santo André (5); São Bentinho (21); São Bento (601); São Domingos do Cariri (17); São Francisco (8); São João do Cariri (28); São João do Rio do Peixe (54); São João do Tigre (4); São José da Lagoa Tapada (18); São José de Caiana (29); São José de Espinharas (7); São José de Piranhas (70); São José de Princesa (1); São José do Bonfim (51); São José do Brejo do Cruz (5); São José do Sabugi (163); São José dos Cordeiros (4); São José dos Ramos (104); São Mamede (31); São Miguel de Taipu (76); São Sebastião de Lagoa de Roça (124); São Sebastião do Umbuzeiro (4); São Vicente do Seridó (23); Sapé (556); Serra Branca (61); Serra da Raíz (14); Serra Grande (6); Serra Redonda (143); Serraria (28); Sertãozinho (43); Sobrado (74); Solânea (177); Soledade (90); Sossego (7), Sousa (614); Sumé (68); Tacima (68); Taperoá (51); Tavares (26); Teixeira (78); Tenório (11); Triunfo (9); Uiraúna (27); Umbuzeiro (44); Várzea (8); Vieirópolis (4); Vista Serrana (2), Zabelê (1).

*Dados oficiais preliminares (fonte: SIM,e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 04/07, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

20 óbitos foram registrados entre os dias 20 de maio e 04 de julho:

Mulher, 84 anos, residente em Alagoa Grande. Sem informação de comorbidades. Início dos sintomas em 04/06, foi a óbito em hospital púbico no dia 26/06.

Homem, 58 anos, residente em Alagoa Nova. Diabético, cardiopata. Início dos sintomas em 29/05. Foi a óbito em hospital público no dia 18/06.

Mulher, 67 anos, residente em Boqueirão.Portadora de doença renal e doença respiratória. Início dos sintomas em 19/06. Foi a óbito em hospital público no dia 30/06.

Homem, 71 anos, residente em Cabedelo.Hipertenso e diabético. Início dos sintomas em 26/06. Foi a óbito em hospital público no dia 03/07.

Homem, 68 anos, residente em Campina Grande.Sem comorbidades. Início dos sintomas em 08/06. Foi a óbito em hospital público no dia 25/06.

Mulher, 61 anos, residente em Campina Grande.Cardiopata e diabética. Início dos sintomas em 30/05. Foi a óbito em hospital público no dia 14/06.

Homem, 81 anos, residente em Campina Grande.Sem comorbidades. Início dos sintomas em 10/05. Foi a óbito em hospital público no dia 20/05

Homem, 85 anos, residente em Campina Grande. Portador de doença respiratória. Início dos sintomas em 06/06. Foi a óbito em hospital público no dia 02/07

Homem, 73 anos, residente em Catolé do Rocha.Sem informação de comorbidades. Início dos sintomas em 23/05. Foi a óbito em hospital público no dia 01/07.

Homem, 49 anos, residente em Cuitegi.Diabético. Início dos sintomas em 10/06. Foi a óbito em hospital público no dia 01/07

Homem, 61 anos, residente em Esperança.Sem comorbidades. Início dos sintomas em 13/06. Foi a óbito em hospital público no dia 26/06

Homem, 44 anos, residente em João Pessoa. Doente renal e hipertenso. Início dos sintomas em 25/06. Foi a óbito em hospital público no dia 02/07.

Homem, 57 anos, residente em João Pessoa. Sem comorbidades. Início dos sintomas em 06/06. Foi a óbito em hospital privado no dia 13/06.

Mulher, 78 anos, residente em Patos. Sem informação de comorbidade. Início dos sintomas em 19/06. Foi a óbito em hospital público no dia 28/06.

Homem, 80 anos, residente em Patos. Hipertenso e diabético. Início dos sintomas em 25/06. Foi a óbito em hospital público no dia 04/07.

Homem, 55 anos, residente em Picuí. Etilista. Início dos sintomas em 02/07. Foi a óbito em hospital público no dia 03/07.

Mulher, 89 anos, residente em Pilar. Diabética. Início dos sintomas em 11/06. Foi a óbito em hospital público no dia 01/07.

Mulher, 77 anos, residente em Rio Tinto. Portadora de neoplasia e doença hepática. Início dos sintomas em 19/06. Foi a óbito em hospital público no dia 23/06.

Mulher, 92 anos, residente em São José de Bonfim. Diabética e hipertensa. Início dos sintomas em 20/06. Foi a óbito em hospital público no dia 02/07.

Homem, 60 anos, residente em São Miguel de Taipu. Hipertenso. Início dos sintomas em 19/06. Foi a óbito em hospital público no dia 03/07.

 

Portal WSCOM

 

 

Preços do etanol e gasolina no mês de junho na Paraíba são os menores do Nordeste

Os valores do etanol e da gasolina na Paraíba foram os menores do Nordeste no mês de junho, de acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL). A pesquisa também compara os preços dos combustíveis no mês de maio na região nordestina.

Segundo o levantamento, a Paraíba comercializou em junho a gasolina mais barata do Nordeste, com o litro vendido a R$ 3,922, enquanto o maior preço foi do Piauí com R$ 4,417.

Levantamento aponta valores dos combustíveis no Nordeste — Foto: Ticket Log/Divulgação

Levantamento aponta valores dos combustíveis no Nordeste — Foto: Ticket Log/Divulgação

O estado paraibano também vendeu o etanol mais barato, por valor médio de R$ 3,156, enquanto o maior preço foi do Maranhão com R$ 3,699, em junho.

No mês de maio, o menor preço da gasolina também foi o valor vendido na Paraíba, de R$ 3,761, enquanto o Piauí comercializou o produto por R$4,25, o maior preço do Nordeste.

Também foram pesquisados os valores dos combustíveis Diesel, Diesel S-10 e Gás Natural Veicular (GNV). Em comparação com o mês de maio, apenas o etanol não aumentou em junho na Paraíba e apresentou um recuo de 0,7% no valor.

G1

 

Interiorização do coronavírus pode causar efeito ‘bumerangue’ da Covid

Pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) que integram o Comitê Científico do Nordeste de Combate ao Coronavírus alertam para a possibilidade de haver efeito bumerangue (de ir e voltar) de casos da Covid-19 no interior paraibano.

Segundo dados dos especialistas, no dia 29 de junho, as cinco cidades com maiores picos de crescimento de casos do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no estado foram Sousa, Patos, Conde, Cajazeiras e Alagoa Grande.

“Os dados revelam que a interiorização da pandemia atingiu todo o estado e múltiplas regiões interioranas. Esse fato indica a possibilidade de que João Pessoa venha a sofrer com o efeito bumerangue, que teria o potencial de produzir uma enorme sobrecarga do sistema hospitalar da cidade”, revelam os pesquisadores do comitê.

Barreiras sanitárias

Os especialistas recomendam barreiras sanitárias e que um sistema de controle de tráfego de veículos seja instituído nas rodovias que ligam João Pessoa a Campina Grande e ao extremo oeste do estado.

“A Paraíba poderia também considerar a possibilidade de instituir um fechamento temporário – alguns dias de cada semana – de suas divisas com os estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte, para aliviar o fluxo de novos casos para João Pessoa e outras partes do estado”, sugerem os pesquisadores.

Distanciamento social falha no país

Nessa sexta-feira (3), o governo federal publicou a Lei 14.019/2020, no Diário Oficial da União, para dispor sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção individual em espaços públicos e privados acessíveis no Brasil.

Pela lei, órgãos e entidades públicas, estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos e instituições de ensino não ficam obrigados a utilizar a medida de proteção recomendada pela Organização Mundial de Saúde.

O ex-ministro de Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende, um dos coordenadores do Comitê Científico do Nordeste de Combate ao Coronavírus, disse, em live realizada nessa sexta-feira (3), que a lei demonstra descaso com a pandemia da Covid-19. Durante a transmissão online, foi divulgado o nono boletim do comitê.

“Desde o começo da pandemia, existem medidas que contrariam o distanciamento social e o uso de máscaras. Temos uma projeção feita, há duas semanas, que se o isolamento fosse de 60%, teríamos cerca de 40 mil mortes a menos no país”, lamentou Rezende.

Medidas que deveriam ser adotadas

Para os pesquisadores do comitê, é preciso haver “instituição imediata de lockdown (isolamento total) e reversão de planos de afrouxamento do isolamento social em capitais e municípios interioranos que estejam apresentando curvas crescentes”.

O comitê recomenda que as políticas públicas na Paraíba efetivem a criação de Brigadas Emergenciais de Saúde por todo o estado e “impor uma estratégia eficaz para a quebra da taxa de reprodução do coronavírus tanto no interior quanto na Capital”.

Também reforçam os pesquisadores do comitê que o Estado realize o seu primeiro inquérito soro-epidemiológico, com dados que possam “estabelecer a fração da população paraibana que teve contato com o novo coronavírus”.

 

portalcorreio

 

 

Deputado Chió visita Serraria e defende união da oposição

O deputado estadual Chió, do partido da REDE visitou a cidade de Serraria, no Brejo paraibano, neste sábado (04) e foi recepcionado pelo ex-prefeito Walter Carvalho , o vereador Júnior Pereira, do Cidadania, e outras lideranças políticas.

O deputado Chió concedeu entrevista na emissora de rádio local, onde defendeu a união das oposições para às eleições municipais deste ano.

Chió disse que os nomes de Erasmo Rocha e Waltinho, filho do ex-prefeito Walter Carvalho representam a mudança e a inovação da política serrariense. O deputado Chió foi votado nas eleições passada em Serraria. Ele afirmou que defenderá os interesses do povo de Serraria na assembleia Legislativa e junto ao governo do estado.

 

Balbino Silva/MIDIA PARAIBA

 

 

Coronavírus: estudo aponta que não há evidência para eficácia de testes rápidos

Um estudo concluiu que não há evidências que sustentem o uso de testes rápidos para diagnóstico de Covid-19. A análise foi publicada na revista científica BMJ no dia 1º de julho.

Foram analisados dados de mais de 40 estudos de diversos países para avaliar a evidência disponível neste momento que sustente ou não o uso desses testes e indicar sua acurácia.

Os testes sorológicos identificam pessoas que já tiveram contato com o vírus e, por isso, devem ser feitos a partir do 10º dia de contágio.

Na revisão, os testes foram divididos por método e também por classes de anticorpos. A sensibilidade e a especificidade dos diferentes testes foram comparadas.

A sensibilidade corresponde ao nível de precisão, ou seja, quanto mais alta, menor a taxa de falsos negativos. Já a especificidade indica quão específico é o teste para detectar anticorpos contra o Sars-CoV-2 em relação a outros vírus respiratórios.

As três sorologias avaliadas foram Elisa e quimioluminescência, feitas em laboratório a partir de amostra de sangue venoso, e a imunocromatrografia, os chamados testes rápidos, que analisam, no próprio aparelho, uma ou duas gotas de sangue da ponta do dedo. As classes de anticorpos correspondem às imunoglobulinas IgM, IgG e IgA.

Os anticorpos IgM são produzidos no início da infecção, enquanto o IgG e IgA – também chamados de memória – aparecem na fase tardia.

Os anticorpos IgG e IgA são específicos para um agente viral e podem durar bastante tempo no organismo, sendo considerados bons marcadores de imunidade.

Os pesquisadores observaram que a especificidade dos diferentes testes sorológicos varia entre 96,6% a 99,7%. Em relação à sensibilidade, os testes de quimioluminescência tiveram sensibilidade de 97,8% (intervalo de 46,2% a 100%), os de Elisa 84,3% (intervalo de 75,6% a 90,9%) e o imunocromatográfico de apenas 66% (intervalo de 49,3% a 79,3%). Todas as análises foram feitas em pacientes que apresentaram diagnóstico positivo para Covid-19 no exame RT-PCR, considerado padrão-ouro para diagnóstico de infecção aguda.

Na prática, isso significa que em aproximadamente 34% dos casos os testes rápidos dão falso positivos, enquanto no Elisa essa taxa equivale a cerca de 16% e na quimioluminescência, 2%.

Foto:Bruno Concha/Secom

Foto:Bruno Concha/Secom

Em relação aos pacientes que não tiveram contato prévio com o vírus, a chance de o resultado positivo ser verdadeiro –nesse caso indicando corretamente que o paciente não apresenta anticorpos anti-Sars-CoV-2– aumenta para 98% para o Elisa e 97% para o imunocromatográfico. No caso da quimioluminescência, essa taxa se manteve em 98%.

Segundo os autores, em uma população cuja prevalência do Sars-CoV-2 seja de 10%, a cada mil indivíduos que contraíram a doença, 66 terão resultado positivo no teste rápido e 34 serão classificados erroneamente como não infectados. Por outro lado, dentre aqueles que não foram contaminados, em 869 o resultado do teste será negativo, mas 31 serão falsamente identificados como se tivessem anticorpos anti-Sars-CoV-2.

No entanto, uma observação importante da revisão é que há um elevado risco de viés (cerca de 67%) nos testes de acordo com o período em foram realizados –se muito no início ou no fim do contágio. Isso significa que há uma correlação direta entre o momento em que é feito o exame e a sua acurácia.

O estudo também comparou os diferentes testes disponíveis comercialmente e as chamadas tecnologias in-house, desenvolvidas e patenteadas por um laboratório, sem comercialização. A sensibilidade dos testes foi significativamente menor nos kits comerciais nos três métodos em comparação às tecnologias laboratoriais, em especial o método imunocromatográfico, cuja sensibilidade foi de apenas 65%, frente à 88,2% do método desenvolvido em laboratório.

Outro dado levantado na pesquisa identificou uma maior taxa de acerto dos testes comerciais quando realizados a partir da terceira semana de contágio em relação às primeiras duas semanas após início dos sintomas.

Segundo os autores, embora a utilização de um teste rápido, de baixo custo e com bom índice de acerto seja de interesse da população, essa procura levou à produção, à comercialização e à divulgação de diversos testes sorológicos para Covid-19 sem que houvesse uma avaliação mais rigorosa de sua sensibilidade.

“A baixa sensibilidade do teste rápido preocupa em particular […]. Essas observações fornecem evidências contrárias ao uso desse teste para outros fins além de estudos de soroprevalência, e apoiam as recomendações dadas pela Organização Mundial da Saúde de não utilizá-los como método diagnóstico”, afirmam os autores.

Os pesquisadores concluem com um alerta: “a baixa performance dos testes sorológicos existentes coloca em dúvida a utilização de tais métodos para tomada de decisões, em particular o uso dos testes rápidos associados aos chamados ‘passaportes de imunidade’ por governantes.”

 

FOLHAPRESS

 

 

Secretário prega cautela em flexibilização e cita cidades com explosão de casos após reabertura do comércio

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, comentou neste sábado o processo de flexibilização do isolamento social na Paraíba, que já está na sua segunda etapa, segundo calendário programado pelo Governo do Estado.

À rádio Educativa, de Sousa, ele pontuou que não é possível fazer uma flexibilização ‘atabalhoada’ e citou exemplos de cidades que voltaram atrás na reabertura do comércio após explosão de casos e mortes por Covid-19.

“Estamos iniciando na Paraíba um processo lento e gradual e não há espaço para atropelamento e flexibilização atabalhoada. Vocês estão vendo os exemplos de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, interior de São Paulo e Rio Grande do Sul, em que as pessoas abriram rapidamente comércio, bares e restaurantes, produziram aglomerações e estão tendo avalanche de casos novos e mortes”, disse

Ele lembrou que os resultados dos esforços da Secretaria de Saúde colocaram a Paraíba com bons índices no combate à doença causada pelo novo Coronavírus.

“Todo esse controle, cautela e cuidado que a Secretaria de Saúde da Paraíba tem tido ao longo desses 100 dias é com objetivo de preservar a vida dos paraibanos. Por isso, a Paraíba hoje é o estado do Nordeste com menor ocupação de leitos, menor taxa de letalidade e um dos estados com maior testagem”, declarou.