Todos os posts de Focando

Bispo de Patos é contra tornar igreja atividade essencial: ”não é hora de lutar em defesa de interesse de grupos”

O bispo Diocesano de Patos, Dom Eraldo Bispo da Silva, enviou carta direcionada aos às câmaras dos municípios que compõem a diocese para explicar que não pediu para as atividades da Igreja Católica serem consideradas essenciais durante a pandemia de covid-19.

Alguns vereadores têm levado às câmaras projetos de lei para tornar atividades religiosas essenciais, garantindo assim que as igrejas permaneçam abertas durante a pandemia de covid-19, ao contrário do que determina o decreto estadual que determinou a proibição de missas e cultos até o próximo dia 10, para evitar a propagação da doença.

No documento, o bispo argumentou que não é hora de lutar em defesa de interesses de grupos, pessoas ou instituições. ”Em outro momento, quando tivermos vencido o flagelo da covid-19, este e outros temas poderão constar nas pautas dos nossos legislativos”, diz trecho da nota.

Em outro trecho do texto, o bispo afirma que o essencial na presente situação é a solidariedade e a superação da pandemia.

Confira na íntegra:

clickpb

 

Pastor Estevam defende fechamento de igrejas e pede bom senso a fieis

“Fechar templos, que difícil! Isso também me afeta e me faz sofrer, mas enquanto não há consenso, faço um apelo para que haja bom senso”, é a declaração do pastor Estevam Fernandes, líder da I Igreja Batista, em João Pessoa. O religioso, fez um apelo para que os fieis respeitem o fechamento das igrejas. “Os templos estão fechados, mas a igreja está aberta. Nós somos a igreja”, declara.

O pastor lembrou as milhares de pessoas que estão morrendo diariamente, além dos estados quase em colapso do sistema de saúde. “João Pessoa não é diferente, hospitais estão cheios, UTIs lotadas, a gente para um pouco em prol da vida, da esperança”, disse.

Fernandes acrescenta que o bom senso é a capacidade de sair de si e pensar nos outros. “Os templos estão fechados, mas a igreja está aberta, nós somos a igreja. Por isso o bom senso diz para que pare um pouco, para que a vida não pare. A gente puxa o freio de mão para a vida continuar. Vamos aguardar. Somos da vida, da esperança, de deus”, completa.

Marília Domingues

 

 

Empresário José Carlos, dono do Grupo São Braz e da Rede Paraíba de Comunicação, morre vítima de covid-19

Faleceu nesta sexta-feira (05) em decorrência da Covid-19 o empresário paraibano José Carlos da Silva Júnior, dono do Sistema Paraíba de Comunicação e do Grupo São Braz. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde o dia 18 de fevereiro após testar positivo para a covid-19 e acabou não resistindo a uma parada cardiorrespiratória. De acordo com informações obtidas pelo ClickPB, inicialmente José Carlos não manifestou sintomas do novo coronavírus, mas foi internado mesmo assim como forma de prevenção, já que possuía comorbidades e em razão da idade avançada.

José Carlos tinha 93 anos de idade e já ocupou o cargo de senador da Paraíba entre os anos de setembro de 1996 e janeiro de 1997 e de junho a novembro de 1999, quando suplente de Ronaldo Cunha Lima. Ele também foi vice-governador da Paraíba de 1983 a 1986, durante a gestão de Wilson Braga. Wilson Braga também faleceu vítima de covid-19 no mês de maio de 2020.

Natural de Campina Grande, José Carlos era casado com Virgília Henriques de Oliveira Carlos, que faleceu em 2015 aos 89 anos de idade. Ele deixa três filhos: Ricardo Carlos, Eduardo Carlos e Eliane Freire.

Ainda no início da pandemia de covid-19, José Carlos perdeu um neto vítima da doença. Mateus Carlos tinha 34 anos de idade e faleceu no dia 30 de março de 2020, quando estava internado no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa. Mateus foi um dos primeiros paraibanos a falecer em decorrência do novo coronavírus.

O empresário Eduardo Carlos, pai de Mateus e filho de José Carlos, permanece internado em São Paulo, no Hospital Sírio Libanês se tratando da covid-19. Ele foi internado pouco após o seu pai.

 

clickpb

 

 

Bolsonaro aparece com aprovação abaixo de 30%, segundo IPEC

No pior momento da pandemia e ainda sem a retomada do pagamento do auxílio emergencial, a aprovação do presidente Jair Bolsonaro aparece abaixo do patamar de 30% da população, segundo pesquisa do IPEC (Inteligência, Pesquisa e Consultoria). O levantamento, realizado entre 18 e 23 de fevereiro, aponta que 28% dos entrevistados consideram a gestão Bolsonaro ótima ou boa, enquanto 39% avaliam como ruim ou péssima. Segundo os dados do IPEC, o eleitorado evangélico é a principal base de apoio a Bolsonaro, que tem avaliação positiva de 38% neste segmento. A margem de erro é de dois pontos.

Em levantamentos de institutos como Datafolha e Ibope em 2020, o nível de aprovação geral do governo Bolsonaro quase sempre ultrapassava um terço da população. Em dezembro, apesar do aumento de mortes em decorrência da Covid-19 após as eleições municipais, o presidente manteve 37% de aprovação. Já no fim de janeiro, primeiro mês após o fim do pagamento das parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial, o Datafolha apontou queda nas avaliações positivas, com 31% considerando o governo ótimo ou bom, e rejeição na casa de 40%. A retomada do auxílio, agora em quatro parcelas de R$ 250 cada, faz parte da PEC Emergencial no Senado.

 

O Globo

 

 

Paiva Netto: Sois Luz 

Jesus, o Divino Farol a guiar a humanidade pelos milênios, a Luz que não cria sombras, deixou-nos lições extraordinárias para que ousássemos avançar em nossa evolução espiritual. Em Suas vigorosas palavras no Santo Evangelho, demonstrou que poderíamos igualmente iluminar o planeta com os nossos exemplos de autêntica devoção e desprendimento, inspirados em Deus: Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo de um móvel; porém, no velador, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim resplandeça igualmente a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas Boas Obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus” (Evangelho, segundo Mateus, 5:14 a 16).

Eis a mais preciosa Caridade que a LBV e a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo têm para oferecer ao mundo: para salvarmo-nos, precisamos salvar; para libertarmo-nos, precisamos libertar. É a Lei da Reciprocidade, comum na Sociedade Solidária Altruística Ecumênica que pregamos e procuramos viver como Cidadãos do Universo, portanto, do Espírito: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Boa Nova do Cristo, consoante Mateus, 7:12).

Cada espaço conquistado pelo Amor é perdido pelo ódio.

José de Paiva Netto ― Jornalista, radialista e escritor. 

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

 

Deputado Chió busca recursos em Brasília para adutora ‘Boqueirão – Nova Camará’ e construção do Açude Sabão

O deputado estadual Chió (Rede/PB) recorreu a bancada federal paraibana em busca de Emendas Parlamentares para obras hídricas estruturantes no Brejo e Curimataú paraibano.

De forma oficial o parlamentar pediu apoio dos doze deputados federais paraibanos e dos três senadores para a construção do Açude Sabão, localizado no município de Barra de Santa Rosa, que atenderá também a cidade de Algodão de Jandaíra. Orçado em mais de R$ 23 milhões e com capacidade para 21.000.000, 00 m³ de água, o projeto técnico já está pronto, necessitando de recursos.

Chió solicitou ainda, Emendas Parlamentares para a elaboração do projeto e construção de uma adutora que levará água do sistema Boqueirão/Campina Grande, para as regiões do Brejo e Agreste paraibano, que sofrem há mais de vinte anos com o desabastecimento constante.

“O Brejo paraibano é uma das regiões mais populosas da Paraíba e nos últimos anos tem enfrentado enormes dificuldades relacionadas ao desabastecimento. São cidades inteiras sem água nas torneiras. Além de projetos imediatos e alternativos, a exemplo da perfuração de poços e adutoras emergenciais, precisamos olhar para o futuro, através de um projeto definitivo, que garanta a sustentabilidade dessas cidades”, justificou o deputado.

Ainda de acordo com Chió, a adutora ‘Boqueirão – Nova Camará’ beneficiará diretamente cidades como Areial, Areia, Esperança, Montadas, Remígio, São Sebastião de Lagoa de Roça, podendo levar água até as cidades de Casserengue e Solânea. “Estamos falando do desenvolvimento e do futuro de uma das regiões mais produtivas e turísticas da Paraíba. Tenho certeza de que os nossos parlamentares federais irão se sensibilizar e ajudar o Governo do Estado com recursos, para que possamos matar a sede da população”, finalizou o deputado Chió.

Fonte: Assessoria de Comunicação Parlamentar

 

 

Assessor de Leonardo morre após ser atingido por tiro em fazenda do cantor em Goiás

Um assessor do cantor Leonardo morreu atingido por um disparo de arma de fogo nesta quinta-feira (4) na fazenda Talismã, de propriedade do artista, localizada em Jussara, no noroeste do estado de Goiás. Milton Rodrigues, conhecido como Passim, trabalhava no meio artístico há 30 anos.

A assessoria de imprensa do cantor informou que a morte foi acidental. Segundo a Polícia-Técnico Científica (PTC), a vítima foi atingida por disparo de arma de fogo e a Polícia Civil vai apurar o caso.

A assessoria da PTC informou ainda que equipes de Perícia Criminal e de Medicina Legal fizeram a perícia no local e no corpo com o objetivo de fornecer suporte técnico-científico às investigações da polícia.

O cantor Zé Felipe, filho de Leonardo, postou vídeo com Passim em sua rede social nesta noite e disse que “não dá para acreditar” na perda do amigo (veja acima).

No vídeo, Zé Felipe e Passim brincam juntos e o artista pede para que o amigo não morra nunca.

“Se você morrer, eu desenterro você e ponho em pé de novo”, diz Zé Felipe.

A noiva de Zé Felipe, Virginia Fonseca, postou uma imagem de luto na rede social e lamentou a morte de Passim.

“Infelizmente perdemos uma pessoa muito especial para nós. Que Deus conforte a família. Vamos sentir sua falta Passim”, escreveu.

Amigos de Passim também postaram mensagens de luto nas redes sociais e fizeram homenagens.

 

G1

 

 

Bolsonaro muda regra para aquisição de veículos por deficientes físicos

Para tentar conter a alta no preço dos combustíveis, o governo federal anunciou que irá zerar os impostos federais que incidem sobre a comercialização e importação de diesel e sobre o gás de cozinha. No primeiro caso, a mudança vale por dois meses. No segundo, é permanente. Essa medida mudou as condições para quem compra de carros zero quilômetro por pessoas com deficiência e desagradou à população com deficiência, segundo o presidente da Associação Paraibana de Deficientes (Aspadef), Iber Câmara de Oliveira.

“Ele [presidente Jair Bolsonaro] fez isso por conta da crise dos combustíveis, mas é uma lástima que nós tenhamos que pagar por essa conta que não é nossa. Teriam outras opções na busca por uma solução para isso, mas a pessoa com deficiência é que paga”, comentou Iber. O presidente da Aspadef, o presidente foi injusto. “É triste saber que teremos limitações para comprar um automóvel, quando precisarmos”, afirmou.

Publicada no Diário Oficial da União do último dia 1º, a Medida Provisória 1.034/2021 decreta, na prática, que pessoas com deficiência só terão direito à isenção de IPI sobre o valor do carro se optarem por veículos que custem até R$ 70 mil após a incidência de todas as demais tributações até dezembro de 2021. E ainda amplia de dois para quatro anos o prazo para comprar outro automóvel sem recolher o tributo, obedecendo o novo teto.

O que muda, na prática?
Pessoas com deficiência só terão direito à isenção de IPI sobre o valor do carro se optarem por veículos que custem até R$ 70 mil após a incidência de todas as demais tributações.

Agora, as limitações para obter isenção de IPI (imposto federal) passam a ser as mesmas que já existiam para a isenção de ICMS (imposto estadual).

pbagora

 

 

Bolsonaro perde a compostura e dispara: ‘Vai comprar vacina! Só se for na casa da tua mãe’

O presidente Jair Bolsonaro mais uma vez perdeu a compostura durante coletiva a imprensa, e demonstrou irritação ao ser questionado por um jornalista sobre a compra da vacina. A principal preocupação da população brasileira atualmente, a compra da vacina, causou irritação em Bolsonaro horas antes de cumprir agenda em São Simão (GO), para inauguração de trecho da Ferrovia Norte-Sul, nesta quinta-feira (4).

Ao passar por Uberlândia (MG), Bolsonaro foi recebido por apoiadores na chegada ao aeroporto, em meio a aglomeração e reclamou da pressão pela compra de vacinas, alegando falta de imunizantes no mercado mundial.

“Tem idiota que diz ‘vai comprar vacina’. Só se for na casa da tua mãe. Não tem para vender no mundo”, disparou Bolsonaro. “Alguns governadores queriam direito a comprar vacina e quem iria pagar? Eu! Onde tiver vacina para comprar, nós vamos comprar”.

“Impuseram estado de sítio no Brasil via prefeituras. Isso está errado. Estamos preocupados com mortes, sim, mas sem pânico. A vida continua”, emendou, atacando governadores. “Os problemas a gente tem que enfrentar, não adianta ir para baixo da cama. Se todo mundo for ficar em casa, vai morrer todo mundo de fome”.

 

 

Aulas presenciais na rede estadual da PB não serão retomadas no primeiro semestre, diz secretário

Em reunião realizada nesta quinta-feira (4) entre representantes da Secretaria da Educação e da Ciência e Tecnologia do Governo da Paraíba e do Ministério Público do Trabalho (MPT), o secretário Cláudio Furtado afirmou que as aulas presenciais na rede pública estadual não serão retomadas neste primeiro semestre. O motivo é o avanço da pandemia da Covid-19 no estado.

O encontro ocorreu por conta de denúncias recebidas pelo procurador Eduardo Varandas, sobre um provável retorno das atividades presenciais nas escolas da rede estadual. Segundo o procurador, esta volta colocaria em risco à saúde e a vida de alunos, familiares e professores.

O secretário de Educação disse que havia uma perspectiva para que as aulas presenciais retornassem em 1º de março, mas que por causa do crescimento de casos de Covid-19 e novas variantes da doença, o Governo preferiu aguardar e, enquanto isso, manter atividades remotas.

“A Secretaria de Educação tem se articulado com a Secretaria de Saúde para traçar estratégias que não contrariem as orientações de prevenção e combate à pandemia; não é de interesse da Secretaria expor professores e funcionários a situações de risco de vida, até porque quando uma escola abre, gera outros fatores, como maior lotação nos transportes públicos, exposição de familiares de alunos e familiares de professores”, disse Cláudio Furtado.

O procurador do Trabalho, Eduardo Varandas, recomendou que com a manutenção de atividades virtuais e aulas remotas, o Governo do Estado adquira notebooks e outros equipamentos necessários para que os professores possam ter condições de desempenhar suas atividades diárias nas salas virtuais.

G1