Todos os posts de Focando

Suspeitos de estelionato e receptação de carros roubados são presos pela PRF na PB

Dois homens de 45 e 59 anos de idade foram presos pela Polícia Rodoviária (PRF) nesta terça-feira (16), na BR-230, em Pocinhos, na Paraíba. No carro em que eles estavam haviam drogas, cheques furtados e notas promissórias com dados falsos, além de documentos falsos. Contra um deles havia um mandado de prisão expedido.

Segundo a PRF, os dois homens estavam em um veículo com placas de Fortaleza, capital cearense. Após uma revista preliminar, foi encontrado com cada um deles uma pequena quantidade de substância semelhante a maconha, que eles alegaram ser para uso pessoal. Na abordagem, o homem de 59 anos, que estava como passageiro, apresentou identidade com nome e demais dados falsos.

Os policiais descobriram que o nome que ele apresentou era falso e, ao consultarem o real nome do suspeito, descobriram que havia um mandado de prisão expedido contra ele. Ainda no procedimento, os agentes da PRF descobriram que os dois homens respondem a vários processos por estelionato, receptação roubo e porte ilegal de arma.

As queixas e processos estão registradas em mais de 5 estados brasileiros e mostraram ainda que as práticas criminosas ocorrem há mais de 10 anos. Os dois homens foram presos e levados para a Delegacia da Polícia Federal, em Campina Grande.

G1

 

Prefeito Dinda assina ordem de serviço para reforma do PSF 1 em Casserengue

Nesta terça-feira dia 16 de julho, o prefeito do município, Genival Bento da Silva (Dinda), com a presença do Secretário de Saúde Willian Basílio e sua assessoria em seu gabinete, formalizou a ordem de serviço para a reforma de um dos equipamentos públicos de maior importância para a população: Unidade Básica de Saúde (PSF 1).

A formalização se deu por meio da assinatura da ordem de serviço com a presença do responsável pela empresa que executará a obra, que irá contemplar a Unidade Básica de Saúde (PSF 1) localizado no Conjunto Conjunto Frei Damião, com uma ampla reforma no prédio que recebe diariamente uma significativa parcela dos pacientes que utilizam os serviços de saúde do município, sendo sem dúvidas um dos mais frequentados.

Com a assinatura da ordem de serviço, a expectativa é de que as obras já comecem na próxima semana, será construído a rampa de acesso para os pacientes, calçamento em torno do prédio e muro que envolve todo o prédio.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASSERENGUE

 

 

 

Técnicos e engenheiros do Estado realizaram inspeção no Matadouro Público Regional de Solânea

Os profissionais avaliaram as necessidades estruturais de adequação para posterior abertura do matadouro.

Na manhã dessa terça-feira (16) técnicos da Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan) e da Secretária de Defesa Agropecuária da Paraíba realizaram uma visita de inspeção ao Matadouro Público Regional de Solânea. O objetivo da visita foi realizar um levantamento e fazer o diagnóstico estrutural do matadouro para instalação dos equipamentos.

Estiveram presentes todo corpo técnico de engenheiros da Suplan e médicos veterinários da defesa agropecuária que juntos avaliaram como estão as instalações elétricas, hidráulicas, acomodações dos animais, currais, lagoas de tratamento e baías para inspeção dos animais. O prefeito de Solânea Kayser Rocha e o Secretário de Agricultura Késsio Furtado acompanharam a visita. “Os técnicos e engenheiros realizaram o levantamento e diagnósticos para iniciar o processo de adequações e modificações. Depois disso, iremos receber os equipamentos. O processo está bem adiantado e o objetivo é preparar o matadouro para receber os equipamentos e  posteriormente iniciar o funcionamento”, contou o prefeito de Solânea, Kayser Rocha, durante a visita.

         

 Assessoria de Comunicação

 

Polícia prende 06 pessoas nas cidades de Solânea e Araruna; acusações são de homicídio, roubo de veículos e tráfico de drogas

Uma ação integrada das Polícias Civil e Militar da Paraíba, através da 21ª Delegacia Seccional em Solânea, juntamente com a Polícia Militar, 7ª CIPM, prenderam 06 (seis) investigados por crimes nas cidades de Solânea e Araruna em uma ação policial nas primeiras horas desta terça-feira (16).

A ação concentrada teve início na cidade de Araruna, onde foram presos simultaneamente os investigados Tiago Cavalcante Fernandes, pelo crime de homicídio ocorrido no sábado (13) e do foragido Messias Orlando Firmino de Souza, investigado pela receptação de uma camioneta D 20 furtada em junho de 2016 na cidade de Solânea.

Já na ação realizada na cidade de Solânea foram presas 05 (pessoas) pessoas, sendo uma adolescente, todos pelos crimes de tráfico de entorpecente e associação criminosa para o tráfico, sendo apreendida com estes uma considerada quantidade de droga do tipo maconha e crack destinadas ao tráfico.

Os presos em Solânea são Geovanio Ferreira da Silva, 29 anos, Djailson Rodrigues de Oliveira, 25, Ícaro de oliveira Gonzaga Lins,23, uma adolescente de 17 anos, oriundos de Pilões/PB que vieram a Solânea fazer distribuição de droga.

Os PRESOS na ação serão encaminhados as cadeias de Solânea, Araruna e a adolescente para internação em João Pessoa.

De acordo com Polícia Civil a ação intensiva desta quarta tem o objetivo de reduzir a criminalidade na área da 21ª AISP, com 11 municípios na região de Solânea, sendo um esforço integrado com a Polícia Militar para propiciar maior segurança à população.

 

FN com Polícia Civil

 

 

MP pede suspensão de Campeonatos Sub 17 e Sub 19 de futebol na Paraíba

O Núcleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudetor) do Ministério Público da Paraíba recomendou à Federação Paraibana de Futebol (FPF) que suspenda a realização dos jogos desta quarta-feira (17), pelo Campeonato Sub 19, e do próximo domingo (21), pelo Campeonato Sub 17.

De acordo com o coordenador do Nudetor e da comissão, procurador Valberto Lira, a suspensão foi recomendada devido à divulgação de ausência de ambulâncias, médicos e enfermeiros dos jogos realizados nos últimos sábados e domingos. Além disso, os clubes não estão cumprindo o Estatuto do Torcedor, quanto à solicitação de agentes de segurança.

Na próxima quinta-feira (16/07), será realizada uma reunião, no auditório do Crea,, com representantes da FPF e os presidentes dos clubes que disputam os Campeonatos Sub 17 e Sub 19, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PB), Sindicato dos Árbitros e Associação Cronistas Esportivos Paraíba (Acep). Na reunião, será oportunizado a assinatura de compromisso para cumprimento do Estatuto do torcedor.

O procurador destaca que o Estatuto do Torcedor estabelece que é dever do mandante do jogo solicitar ao Poder Público a presença de agentes de segurança responsáveis pela segurança do torcedor, dentro e fora dos estádios.

Além disso, é dever também do mandante do jogo informar, imediatamente após a decisão da realização da partida, aos órgãos de segurança, transporte e higiene os dados necessários à segurança da partida, como a hora, local, capacidade de público do estádio, expectativa de público, entre outros.

O Nudetor também requisitou da FPF as súmulas de todos os jogos realizados nos últimos sábado e domingo; a relação de todos os clubes participantes dos campeonatos Sub 17 e Sub 19, com endereços e nomes de presidentes; e a relação dos atletas inscritos nas competições.

Estádios

Nessas segunda e terça-feira, a Comissão de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios visitou os estádios dos municípios de Rio Tinto, Mamanguape, Nova Floresta e Alagoinha, que receberão jogos da 2ª divisão do Campeonato Paraibano. Conforme o procurador Valberto Lira, serão produzidos relatórios pela Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Vigilâncias Municipais.

Portal WSCOM

 

WhatsApp e Telegram podem permitir que hackers manipulem fotos e vídeos

Uma suposta vulnerabilidade no WhatsApp e no Telegram para Android pode deixar expostos arquivos de mídia enviados e recebidos pelos mensageiros. De acordo com pesquisadores da empresa de segurança digital Symantec, um app malicioso permite que o hacker visualize e manipule o conteúdo sem que o usuário perceba.

A falha, chamada de “Media File Jacking” (sequestro de arquivos de mídia, em tradução livre), se aproveitaria de uma brecha na criptografia de ponta-a-ponta oferecida pelos serviços para modificar os arquivos, deixando o usuário com a nova versão. Isso poderia expor fotos, vídeos, áudios e documentos pessoais, abrindo oportunidade para mensagens falsas e golpes.

Nos dispositivos Android, as mídias recebidas no WhatsApp e no Telegram podem ficar salvas em dois locais: dentro do próprio aplicativo e na galeria do telefone. Os arquivos que estiverem na segunda situação podem ficar vulneráveis ao erro. Segundo os pesquisadores, no exato momento em que o aplicativo está baixando uma mídia, sua criptografia não a protege totalmente. Isso permite que o malware tenha acesso ao arquivo e consiga alterá-lo, deixando o usuário com a versão modificada.

A falha afeta por padrão todos os usuários de WhatsApp para Android. Isso ocorre porque o mensageiro salva automaticamente as mídias no armazenamento do dispositivo. No caso do Telegram, essa configuração é opcional, mas sua ativação pode deixar o aparelho vulnerável.

Uma das possibilidades de golpe, segundo a revelação da Symantec, é que o hacker manipule uma mensagem de voz para solicitar dinheiro a uma conta ilegítima, de propriedade do invasor. Seria possível ainda alterar um documento importante ou mesmo um boleto bancário, sem que o usuário desconfie da mudança.

Como se proteger?

É possível tomar algumas atitudes para se proteger da falha na segurança. Ajustes na opções de segurança dos dois aplicativos podem evitar a exposição de dados. No WhatsApp, vá até Configurações > Conversas. Desmarque a opção “Visibilidade de mídia”. No Telegram, clique em Configurações > Configurações de Chat. Desative a opção “Salvar em galeria”. Vale lembrar que a brecha só afeta os usuários que tiverem seu dispositivo invadido por um malware. Por isso, é importante ter um antivírus instalado em seu telefone.

O que dizem o WhatsApp e o Telegram

Segundo o porta-voz do WhatsApp, a empresa analisou atentamente o assunto e notou semelhanças com questões anteriores envolvendo o impacto do armazenamento em dispositivos móveis no ecossistema do aplicativo. “O WhatsApp segue as melhores práticas vigentes fornecidas pelos sistemas operacionais para armazenamento de mídia e busca fornecer atualizações de acordo com o desenvolvimento contínuo do Android. As alterações sugeridas aqui podem criar complicações de privacidade para nossos usuários e limitar a maneira como fotos e arquivos podem ser compartilhados”.

O TechTudo entrou em contato com o Telegram, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

TechTudo

 

Dias Toffoli suspende investigações sobre Flávio Bolsonaro

— O presidente do Supremo Tribunal Federal ( STF ), ministro  Dias Toffoli , determinou nesta terça-feira a suspensão de todos os processos judiciais em que dados bancários de investigados tenham sido compartilhados por órgãos de controle sem autorização prévia do Poder Judiciário. A decisão foi dada em resposta a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e pode beneficiá-lo em investigações que tramitam contra ele na Justiça do Rio de Janeiro.

Além de paralisar processos judiciais em andamento, Toffoli mandou suspender inquéritos e procedimentos de investigação criminais (PICs) em tramitação tanto no Ministério Público Federal quanto nos ministérios públicos estaduais e no Distrito Federal. O presidente do STF classificou como “temerária” a atuação do MP em casos envolvendo o compartilhamento de informações fiscais sem a supervisão da Justiça.

Flávio Bolsonaro é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) no inquérito que apura o suposto desvio de dinheiro em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O desvio, segundo as investigações, ocorreria a partir da arrecadação ilícita de parte dos salários de servidores lotados no gabinete do então deputado estadual. Flávio Bolsonaro nega seu envolvimento no caso.

A suposta arrecadação teria sido detectada em relatórios do Conselho de Administração de Atividades Financeiras (Coaf). A defesa de Flávio argumentou ao STF que a investigação conduzida pelo MPRJ teria irregularidades porque o repasse de dados do Coaf ao MPRJ não teria sido intermediado pela Justiça.

“Considerando que o Ministério Público vem promovendo procedimentos de investigação criminal (PIC), sem supervisão judicial, o que é de todo temerário do ponto de vista das garantias constitucionais que assistem a qualquer indiciado ou a qualquer pessoa sob investigação do Estado, revela-se prudente ainda suspender esses procedimentos”, disse Toffoli, em sua decisão.

O ministro embasou sua decisão no fato de que a legalidade do compartilhamento de informações nesses moldes é tema de um processo, cujo julgamento de mérito está marcado para novembro, que tem “repercussão geral” na Corte. Isso significa que a decisão do Supremo valerá para todo o Judiciário. Nesses casos, é de praxe que todas as matérias que tratam do assunto fiquem suspensas.

A decisão de Toffoli acontece após diversas tentativas da defesa de Flávio Bolsonaro para alterar o curso das investigações que tramitam contra ele no Rio de Janeiro. Em fevereiro deste ano, ele recorreu ao STF argumentando que, por ser senador da República e ter foro privilegiado, o caso deveria ser investigado junto ao Supremo. O ministro do STF, Marco Aurélio Mello, negou o pedido. Em junho, o desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro Antônio Carlos Nascimento Amado negou um pedido da defesa de Flávio que pedia a suspensão da quebra de seu sigilo fiscal e bancário, decretada em abril .

Investigadores do caso junto ao Ministério Público do Rio explicaram ao GLOBO que a decisão de Toffoli se refere a um processo de 2017, cujo recurso será julgado em novembro. O MP diz não ter recebido nenhuma notificação oficial do STF ainda sobre o alcance da decisão diante das investigações sobre Flávio Bolsonaro.

— Nunca vi nada parecido antes. Nunca vi uma decisão de repercussão geral para suspender investigações de forma generalizada em todo o país. Acredito que, como já temos decisão judicial no caso, é difícil que a decisão alcance essa investigação — afirma um dos investigadores.

95 alvos

As quebras de sigilos bancário e fiscal no âmbito da investigação tiveram como alvos 95 personagens, dentre ex-funcionários do gabinete de Flávio e  pessoas que participaram de transações imobiliárias com ele . As suspeitas do Ministério Público no caso são do crime de peculato, por meio da devolução dos salários dos funcionários do seu gabinete, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações do MPRJ apontaram que o esquema de desvio de recursos no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj seria operado pelo ex-assessor Fabrício Queiroz, que é policial militar reformado. Ao MPRJ, Queiroz admitiu que repassava parte dos salários de servidores lotados no gabinete de Flávio Bolsonaro a outras pessoas que trabalhassem, ainda que informalmente, para o parlamentar. A ideia, segundo ele, era ampliar a base de pessoas a serviço do então deputado. Queiroz disse que o parlamentar não tinha conhecimento do esquema.

Os promotores chegaram a apontar que  há indícios do funcionamento de uma “organização criminosa” no gabinete de Flávio na Alerj desde 2007 . As quebras de sigilo foram reveladas pelo GLOBO. A assessoria de Flávio Bolsonaro classificou a ação do MP como “campanha caluniosa”. O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o filho era perseguido pelo MP e apontou que o objetivo das investigações seria derrubá-lo.

O GLOBO mostrou que o senador empregou nove parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, no período em que foi deputado estadual. A maioria deles vive em Resende, no Sul do estado do Rio e todos  tiveram o sigilo fiscal e bancário quebrado  por decisão do Tribunal de Justiça do Rio. Ao menos quatro deles têm dificuldades para comprovar que, de fato, assessoraram Flávio. Eles recebiam salário, mas não tinham crachá e ficavam longe da Alerj . O senador disse, na ocasião, que os parentes de Ana Cristina foram nomeados porque eram “qualificados para as funções que exerciam”.

*Colaborou: Juliana Dal Piva.

OGlobo

 

Governo da Paraíba vai pagar R$ 12,5 milhões a 12.405 agentes de segurança pública por atingirem meta na redução de homicídios

Das 22 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp) na Paraíba, 17 conseguiram bater a meta na redução de crimes contra a vida nos primeiros seis meses deste ano, destacou o secretário de Segurança e Defesa Social, Jean Nunes, ao Portal ClickPB. A Paraíba teve 133 assassinatos a menos e uma redução de 21,8% no número de crimes contra a vida de janeiro a junho deste ano.

O secretário Jean Nunes avalia que o resultado positivo revelado pelo Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) é fruto das operações integradas das polícias e do sistema penitenciário, além do trabalho de inteligência que vem sendo desenvolvido. “A gente intensificou algumas ações, tem colocado em prática um planejamento estratégico que vem sendo construído nos últimos anos e com isso temos conseguido melhor direcionar e focar em algumas ações”, explicou.

As Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp) se referem à divisão territorial estabelecida na Lei Complementar 111/2012 na Paraíba. Todas as áreas que alcançaram redução fazem jus a um prêmio, intitulado Paraíba Unida pela Paz, que neste semestre vai beneficiar 12.405 agentes de segurança pública, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 12,5 milhões.

Redução de crimes contra a vida:

5ª Aisp, em Santa Rita (-33 casos)
2ª Aisp, zona sul de João Pessoa (-19 casos)
10ª Aisp, zona leste de Campina Grande (-18 casos)
22ª Aisp, zona oeste de Campina Grande (-17 casos)
11ª Aisp, em Queimadas (-15 casos)
14ª Aisp, em Monteiro (-10 casos)
21ª Aisp, de Solânea (-9 casos)
13ª Aisp, em Picuí (-9 casos)
4ª Aisp, em Bayeux (-6 casos)
6ª Aisp, em Alhandra (-5 casos)
8ª Aisp, em Guarabira (-4 casos)
3ª Aisp, de Cabedelo (-4 casos)
19ª Aisp, em Sousa (-4 casos)
15ª Aisp, de Patos (-4 casos)
20ª Aisp, em Cajazeiras (-3 casos)
12ª Aisp, em Esperança (-3 casos)
7ª Aisp, de Mamanguape (-2 casos)

O secretário informou, ainda, que houve uma redução de 23% nos feminicídios, nos primeiros seis meses do ano, e crimes contra as mulheres também caíram 31%. Foram 49 casos no primeiro semestre do ano passado, contra 34 casos no primeiro semestre deste ano.

Já a apreensão de armas de fogo aumentou nos primeiros seis meses deste ano em relação ao primeiro semestre do ano passado. Foram apreendidas 1.954 armas de fogo na Paraíba, o que representa um aumento de 54% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram retirados de circulação 614 revólveres, 150 pistolas, 861 espingardas e 614 armamentos de outros tipos. A média foi de 10,9 armas apreendidas por dia. No primeiro semestre de 2018, 1.270 armas foram apreendidas. Como política de desarmamento, há uma bonificação aos policiais pela apreensão de armas de fogo. “A gente vai continuar com a nossa política de enfrentamento às armas ilegais. A gente vai continuar premiando os policiais por esse desarmamento. Quem tem que andar armado são os policiais. De 2011 a 2018, mais de 25 mil armas foram apreendidas no Estado”, frisou o secretário Jean Nunes. Segundo ele, armar a população é transferir para a população a responsabilidade do Estado pela segurança pública.

O secretário destacou, também, a redução nos crimes patrimoniais. No primeiro semestre de 2019, a Paraíba teve uma redução de 60% no número de crimes contra instituições bancárias. Foram 19 casos este ano, contra 47 no mesmo período de 2018. Já as explosões a banco tiveram uma redução de 78%.

Apesar das reduções dos ataques a bancos, o secretário disse que as instituições bancárias não têm cumprido a legislação estadual para aumentar a segurança. “Isso é fruto de um esforço muito forte da Secretaria, das inteligências, da força-tarefa de bancos, articulação interna e com os estados vizinhos”, explicou o secretário.

Os dados serão debatidos em reunião com o governador na próxima semana, em reunião da área de segurança pública.

ClickPB

 

Padre canta famosa música de bordeu ‘Boate Azul’ durante missa no RN

Um momento inusitado tomou conta de uma celebração católica. Durante uma pregação na missa da Catedral da cidade de Natal, Rio Grande do Norte, o padre Dalmário resolveu surpreender os fiéis com uma musica nova e cantou o clássico de Benedito Seviero, que ficou famoso na voz da dupla sertaneja Milionário e Zé Rico, ‘Boate Azul’.

O religioso usou a música por abordar o tema da infidelidade no matrimônio. Segundo ele, a canção ilustra condição das pessoas, que buscam soluções nas ‘coisas erradas’.

A canção fala de um homem que levou chifre e foi curar a dor com outra mulher no cabaré.

O padre Dalmário Barbalho de Melo é assistente eclesiástico da comunidade católica Canção Nova.

Confira a letra da música na íntegra:

Doente de amor procurei remédio na vida noturna
Como uma flor da noite em uma boate aqui na zona sul
A dor do amor é com outro amor que a gente cura
Vim curar a dor deste mal de amor na boate azul
E quando a noite vai se agonizando no clarão da aurora
Os integrantes da vida noturna se foram dormir
E a dama da noite que estava comigo também foi embora
Fecharam-se as portas sozinho de novo tive que sair
Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou
Muito vagamente me lembro que estou
Em uma boate aqui na zona sul
Eu bebi demais e não consigo me lembrar se quer
Qual era o nome daquela mulher
A flor da noite na boate azul
E quando a noite vai se agonizando no clarão da aurora
Os integrantes da vida noturna se foram dormir
E a dama da noite que estava comigo também foi embora
Fecharam-se as portas sozinho de novo tive que sair
Sair de que jeito, se nem sei o rumo para onde vou
Muito vagamente me lembro que estou
Em uma boate aqui na zona sul
Eu bebi demais e não consigo me lembrar se quer
Qual era o nome daquela mulher
A flor da noite na boate azul

ClickPB

 

Mais de R$ 150 mil em mercadorias irregulares são apreendidas, na PB

Auditores fiscais da Unidade de Atendimento ao Cidadão de Cabedelo, que integram a 1ª Gerência Regional da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-PB), fizeram duas ações fiscais no município, onde foram apreendidas R$ 150.814,27 em mercadores irregulares.

A primeira foi em uma fiscalização de rotina, que flagrou descarrego de móveis e artigos para casa em um estabelecimento sem inscrição estadual. Foram apreendidos  móveis e artigos, somando R$ 123.113,33, resultando em incidência de ICMS e de multa num valor total de R$ 27.700,94.

Já na segunda ação, ainda na cidade de Cabedelo, uma equipe de auditores descobriu um galpão com estoque de colchões sem documentação fiscal que estavam sendo postos a venda aos consumidores, que também foram apreendidos. Foi contabilizada em valores R$ 27.700,94, gerando incidência de ICMS e multa um total de R$ 6.226,21.

A 1ª Gerência Regional da Sefaz-PB, com sede em João Pessoa, confirmou que as empresas já fizeram o depósito dos valores do tributo e multa nos cofres públicos do Estado.

Fiscalização intensificada pela Sefaz-PB

As equipes de auditores fiscais de trânsito, estabelecimentos e postos das cinco Gerências Regionais (João Pessoa, Guarabira, Campina Grande, Patos e Sousa) da Sefaz-PB têm intensificado o trabalho de fiscalização de cargas não apenas nas rodovias e divisas, mas também em pontos estratégicos das rodovias com ações inteligentes e investigativas. O objetivo é combater à sonegação fiscal e coibir a circulação de mercadoria com documentação ou inscrição pendente de regularidade e sem o devido recolhimento do ICMS.

ClickPB