Saúde

Alimentação saudável para melhorar a qualidade de vida

Publicado em quarta-feira, fevereiro 6, 2019 ·

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), metade da população mundial tem o que é chamado de fome oculta, que vem da dificuldade de acesso a uma alimentação saudável, que por sua vez é importante para a qualidade de vida e até para a autoestima. Quando alguém entende que pode melhorar a alimentação da família, sente que está fazendo mais por quem ama e fica mais seguro. O mesmo acontece com quem recebe este cuidado. Já dizia Hipócrates: “Que teu alimento seja teu remédio, e teu remédio seja teu alimento.”

Não é preciso trocar alimentos e sim variá-los. Pode-se usar vegetais em quantidade e combinações adequadas para adaptar a alimentação ao orçamento da família.

Comer é o único prazer que usa os cinco órgãos dos sentidos. Por isso é complicado mudar hábitos alimentares. O melhor é acrescentar, motivar para um novo hábito alimentar.

Em um país do tamanho do nosso, não se justifica ter tanta comida e tanta fome. É necessário se informar de métodos para preservar alimentos nas safras. Por exemplo: no Nordeste e em Minas Gerais, é comum pegar terra de formigueiro, molhá-la, passá-la no feijão, e colocar este para secar. Esse tipo de solução regional deve ser mais divulgada.

Em São Paulo é comum o desperdício de temperos como salsa, cebolinha, tomate e pimentão no CEASA. A sugestão é que esses temperos sejam transformados em sal temperado para que possam ser enviados para escolas e creches. Se desidratados fica ainda mais fácil de serem utilizados.

Antes de partir para políticas públicas, é preciso que cada um trabalhe em sua casa para garantir uma alimentação com alto valor nutritivo, custo baixo, sabor regionalizado e preparo rápido.

A mandioca, essencialmente brasileira, não usa agrotóxico, e todo pequeno produtor tem capacidade para produzi-la, que é fonte de zinco, ferro, magnésio e vitamina A, além de ajudar na contração da musculatura uterina, na eliminação da placenta e prevenir hipertensão gravídica, anemia e câncer de próstata.

Folhas verde-escuras contêm clorofila e são ótimas para a nutrição. O Estado deve incentivar a agricultura urbana e periurbana. A arborização das cidades pode ser feita com plantas comestíveis. Além disso, podemos aprender a fazer brotos em casa.

 

Dicas

Fonte: https://www.leetdoc.com/br/

 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS












INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627