A formação do eleitor-cidadão

Publicado em sábado, junho 2, 2018 · Comments 

[Karlos Thotta/2018]

A ELEIÇÃO DEVE SER A SÍNTESE DA FORÇA SOBERANA DE UM POVO QUE CONVIVE COM UM SISTEMA POLÍTICO-DEMOCRÁTICO ONDE A VONTADE-CIDADÃ É UMA GESTÃO HONESTA, PARA A FORMAÇÃO DO ELEITOR-CIDADÃO.

Sabemos que nenhum candidato concorrente a uma das vagas, nos poderes legislativos ou executivos, que serão disputadas nas próximas eleições, dirá que responde a processo judicial ou se envolveu em algum escândalo de corrupção.

Um projeto para transformar os cidadãos comuns em eleitores-cidadãos deve apresentar certas informações que serão muito úteis na hora de escolher os candidatos.

Aqui, apresentamos alguns pontos a serem considerados por quem deseja escolher, conscientemente, seus candidatos:

Reputação duvidosa: não devemos votar em candidatos que respondem a processos criminais, de quaisquer origens.

Ações mais do mesmo: É recomendável não votar em quem esteja tentando obter mais um mandato onde atuará repetindo as mesmas e antigas desculpas para justificar suas incompetências.

Candidatos estepes: não merecem votos os candidatos que já foram indicados por políticos que estão impedidos de disputar as atuais eleições.

Candidatos Pinóquios: não devemos votar naqueles candidatos enganadores que muito prometem e pouco realizam.

Desconfie de quem diz que vai fazer algo ser ter condições e recursos próprios para fazê-lo. Lembre-se de que ainda não existe punição para candidatos falsos e megalomaníacos.

Causa vergonha, ao cidadão honesto, a piora que invadiu o sistema político brasileiro, durante os últimos 15 anos deste século, campeão de escândalos, onde o Brasil conseguiu ser um finalista do campeonato mundial de multi-corrupção, sistematizada e muito comprometida com as rapinagens de recursos públicos.

A ELEIÇÃO DEVE SER A SÍNTESE DA FORÇA SOBERANA DE UM POVO QUE CONVIVE COM UM SISTEMA POLÍTICO-DEMOCRÁTICO ONDE A VONTADE-CIDADÃ É UMA GESTÃO HONESTA. PARA A FORMAÇÃO DO ELEITOR-CIDADÃO

 

Tags :




outras notícias